Treinador ainda em ‘banho-maria’

Daniel Ramos e Carlos Pereira reuniram-se ontem, sem medidas conclusivas

17 Mai 2018 / 02:00 H.

Daniel Ramos tem mais um ano de contrato com o Marítimo. Essa a única conclusão extraída da reunião que treinador e presidente do Marítimo mantiveram durante mais de duas horas na tarde desta quarta-feira. O que, mesmo assim, não permite aferir com toda a clareza se Daniel Ramos vai continuar na liderança técnica do futebol maritimista na próxima época.

À saída da reunião, Daniel Ramos não foi conclusivo. “Vou de férias de consciência tranquila. Acho que saímos todos valorizados e todos nós fomos importantes na feitura desta temporada, desde o presidente, passando pela equipa técnica e jogadores, a todo o staff da equipa”, sustentou o técnico.

Contudo, Daniel Ramos não confirmou se será o treinador do Marítimo para a nova temporada, refugiando-se no vinculo contratual que o liga por mais um ano ao Marítimo. “Como sabem, tenho contrato. Acabo de sair da reunião com o presidente, na qual foram colocados vários pontos e esclarecendo com ele vários aspectos que tinham de ser esclarecidos e, neste momento, estou tranquilo. O presidente sabe das minhas motivações e a partir de agora é descansar um pouco”, acrescentou.

Confrontado de que lado estava a bola, no sentido de ser clarificada a situação, Daniel Ramos atirou a bola para o presidente. “Está sempre do lado do presidente”, disse.

O treinador do Marítimo não quis acrescentar mais nada relativamente ao seu futuro. “O presidente sabe aquilo que eu quero, aquilo que acho que é importante para continuar”, referiu relativamente à sua continuidade.

Mesmo quando lhe perguntado se gostava de continuar como treinador do Marítimo, respondeu com um lacónico “tenho contrato”.

“Gosto muito do clube, gosto muito de cá estar, mas há aspectos que são determinantes para continuar e essas coisas importantes foram expostas nesta reunião. Naturalmente que o presidente colocou em cima da mesa aquilo que considera também determinante, pelo que brevemente iremos tomar uma posição”, sustenta o técnico relativamente à sua continuidade.

Dos pontos que Daniel Ramos considera determinantes para continuar não quis falar. “Terão que perguntar ao presidente, pois foram aspectos pessoais de que não vou falar”.

Já Carlos Pereira, à saída do complexo desportivo do clube, onde decorreu a reunião, não quis falar, mas à insistência da pergunta, apenas disse. “Para que perguntam se o treinador vai continuar e ele tem contrato?”, respondeu em jeito de pergunta.

Outras Notícias