Trapalhão brilhante

É opinião partilhada a de que o cortejo deste ano foi mais rico e mais bonito

14 Fev 2018 / 02:00 H.

Todos os anos a actualidade não escapa à sátira popular do Trapalhão e este ano não foi diferente com o cortejo a provar que não tem memória curta. O padre Giselo e a questão da paternidade, a falta de do ferry para ligação ao continente e as complicações do aeroporto da Madeira aterraram nas avenidas Sá Carneiro e do Mar e das Comunidades Madeirenses, numa tarde repleta de largos...

Outras Notícias