Taxa de ocupação abaixo das previsões

Mercado inglês registou descida mínima em Maio, mês com 13 dias de festa da flor

14 Jul 2018 / 02:00 H.

A Madeira continua a ser líder nacional da taxa líquida de ocupação-cama, mas em Maio, com 69,3% na hotelaria e 65,7% m todo o alojamento turístico foi a região do País em que este item mais baixou, registando uma quebra homóloga de 4 ponto percentuais.

Uma redução que gera alguma estranheza pois houve 13 dias de Festa da Flor que, este ano e pela primeira vez, foi assinalada ao longo de quatro semanas. Como as sondagens oficiais apontaram para uma taxa média global de ocupação na hotelaria de 86%, ou as previsões estavam empoladas ou então a procura registada no período do evento não foi capaz de contagiar a segunda metade do mês.

Este é apenas um dado das primeiras estimativas relativas a Maio reveladas ontem pela Direcção Regional de Estatística e que apontam para um acréscimo homólogo de 1% nas dormidas no alojamento turístico. Por sua vez, os proveitos totais e os proveitos de aposento apresentaram variações homólogas positivas de 4,2% e 7,4%, respectivamente.

A hotelaria concentrou 84,8% das dormidas, voltando a decrescer 0,6% em termos homólogos, enquanto o alojamento local registou um incremento de 7,3% nas dormidas, representando já 13,1% do total.

Nos mercados tradicionais e no conjunto do alojamento turístico, assinala-se um acréscimo nas dormidas de turistas alemães e franceses, com variações homólogas de 8,7% e de 5,8%, enquanto o mercado inglês registou uma diminuição de 0,1%. O mercado nacional deu um contributo positivo, apresentando um crescimento de 4%.

O rendimento médio por quarto no alojamento turístico teve um crescimento homólogo em 2,1%, para 49,64 euros. O sector da hotelaria evidenciou um aumento de 3,5% em Maio de 2018, apresentando um RevPAR de 53,90 euros.

Outras Notícias