Sportinguistas da Madeira chocados

17 Mai 2018 / 02:00 H.

A onda de choque que abalou o futebol (e andebol) nacional, na sequência de casos espoletados no Sporting, têm merecido inúmeros comentários de todos os quadrantes da sociedade portuguesa.

Todos lastimam e condenam as atitudes, sobretudo as agressões bárbaras a jogadores e treinadores do clube leonino.

Na Madeira os casos têm, também, e naturalmente, gerado muita discussão e repúdio, sobretudo entre aqueles que nutrem um carinho especial pelo Sporting, como é o caso do secretário regional da Saúde, Pedro Ramos.

“Lamento que o futebol português tenha atingido este nível, num país que foi recentemente campeão europeu”, respondeu ao DIÁRIO, evitando mais declarações, num momento que é de grande fragilidade.

Bem mais expressivos foram os outros seis sportinguistas com quem chegámos à fala: João Pedro Mendonça, Bernardo Trindade, João Santos, Roberto Santa Clara Gomes, Marques da Silva e Rui São Marcos.

Este último, sem ‘papas na língua’, disse sentir-se triste e apontou o dedo a Bruno de Carvalho: “Isto é tudo menos o Sporting que nós gostamos. Este presidente tinha 5% de coisas boas e 95% de coisas más e, agora, o que está ao vir ao de cima são só os 95% de coisas más. Tenho muitas dúvidas de quem é que está por detrás de todas estas polémicas mas uma coisa tenho a certeza: este rastilho foi lançado pela postura do actual presidente, sem sombra de dúvidas, com a posição que tomou a seguir ao jogo com o Atlético de Madrid. A partir daí foi tudo em crescendo e ninguém o pára. Estou convencido que se não houver punições muito drásticas para toda esta gangada que anda no futebol, isto será muito mau. Tem de haver mão muito forte.”

Outras Notícias