Segunda morte na Levada das 25 Fontes em duas semanas

15 Abr 2018 / 02:00 H.

Um cidadão de nacionalidade francesa faleceu, ontem, após ter sofrido uma queda na Levada das 25 Fontes, no concelho da Calheta. Esta é a segunda morte de turistas, em levadas da Madeira, este ano.

O acidente da tarde passada aconteceu por volta das 14h30, com o alerta a ser dado por um turista que acompanhava o sinistrado na caminhada.

Os Bombeiros Voluntários da Calheta enviaram para o local a sua equipa de resgate em montanha, bem como uma equipa de socorro pré-hospitalar. No total, estiveram envolvidos nesta operação 20 operacionais dessa corporação. O estrangeiro terá caído de uma altura aproximada de 20 metros.

As primeiras informações, veiculadas pelo turista que pediu socorro, davam já indicação de que a vítima estaria cadáver. Estes dados vieram a confirmar-se ao final da tarde, aquando da conclusão do resgate do corpo do homem, com cerca de 65 anos.

Os graves ferimentos provocados pela queda levaram a que o homem viesse a falecer no local.

O corpo da vítima foi transportado para junto da estrada, com o óbito a ser declarado pelo delegado de saúde.

Domingo de Páscoa também foi fatal nas 25 Fontes

Este é o segundo acidente do ano, que se revelou fatal, na Levada das 25 Fontes.

O primeiro caso, que também vitimou um turista, aconteceu a 1 de Abril, com o homem a sofrer uma queda de aproximadamente 50 metros.

Nesse dia, também a equipa de resgate em montanha da corporação calhetense foi enviada para o local, numa operação que se revela sempre demorada.

Governo lamenta incidente e alerta para cuidados

No final do dia de ontem, o Governo Regional, através de comunicado, veio lamentar o incidente de ontem, garantindo que a situação estava “a ser acompanhada no terreno pelo Corpo de Polícia Florestal, em articulação com outras entidades, tendo o Instituto de Florestas e Conservação da Natureza e a Direcção Regional de Turismo manifestado, junto do cônsul francês na Madeira, a disponibilidade para prestar todo o apoio necessário à família da vítima”.

O Governo recorda que os percursos pedestres recomendados são mantidos regularmente pelo IFCN para oferecer segurança, mas alerta “para os cuidados que todos devem ter quando se deslocam para a serra. Cuidados ao nível do vestuário e calçado, mas também ao nível dos comportamentos, tal como sair do percurso, o que se observa, infelizmente, muitas vezes”, acrescentam.