Sapadores do Funchal iniciam formação em Lisboa

Cursos no Regimento dos sapadores de Lisboa começam já amanhã

Lisboa /
14 Jan 2018 / 02:00 H.

A Câmara Municipal do Funchal (CMF) vai promover, a partir de amanhã, e durante o primeiro trimestre deste ano, formação para o Corpo de Bombeiros Sapadores, junto do Regimento de Bombeiros Sapadores de Lisboa. A iniciativa resulta do protocolo assinado, no último Verão, entre a CMF e a congénere de Lisboa.

Serão ministrados três cursos de duas semanas (70 horas cada um) aos bombeiros subchefes e aos bombeiros de 1ª classe, e cinco cursos com a duração de cinco dias úteis (35 horas) aos restantes bombeiros de 2ª classe e a um bombeiro de 3ª classe.

O objectivo passa por “dotar os seus elementos de uma recertificação de competências no âmbito da sua formação de base, algo que já não acontece há 10 anos”, refere o vereador João Pedro Vieira, que tutela a Protecção Civil Municipal da capital madeirense.

De acordo com o vereador os bombeiros do Funchal terão “uma formação de excelência” e serão capacitados “com melhores técnicas e com os métodos mais actualizados, mercê do treino com uma das maiores e mais experimentadas corporações do país.”

Conforme já foi anunciado, a nova Escola de Bombeiros do Funchal também vai incluir formação em Lisboa, mas João Pedro Vieira aproveitou, assim, a parceria em curso para uma valorização curricular mais generalizada, que vai incluir todo o dispositivo actual dos Sapadores funchalenses.

Tal como já ficou definido em Agosto do ano passado, quando foi assinado um protocolo entre a CMF e a Câmara de Lisboa, a nova Escola de Bombeiros do Funchal prevê seis meses de formação específica junto dos Sapadores lisboetas, incluídos no ano de duração previsto para a recruta, com os novos bombeiros a cumprirem, assim, a primeira parte do seu estágio (a segunda parte decorrerá na Região).

O protocolo de colaboração com a Câmara Municipal de Lisboa prevê a realização de projectos de investigação em áreas de interesse para ambas as instituições; a participação em programas de desenvolvimento da comunidade, de âmbito regional, nacional e internacional; o acesso a publicações técnicas de ambas as instituições; o intercâmbio de especialistas; o desenvolvimento de programas pedagógicos; e a realização conjunta de colóquios, seminários e conferências de interesse mútuo, sobre protecção e socorro.

“Queremos ser uma referência”

João Pedro Vieira sublinha que a intenção da CMF é que a Nova Escola de Bombeiros seja uma referência para a Região e para o País. “Queremos ser uma referência em termos de formação e é nesse sentido que estamos a trabalhar. Esta cidade já tem a sorte de poder contar com homens bem preparados e com um carácter extraordinário, mas o nosso dever é criar as condições necessárias para uma qualificação profissional que lhes permita exercer as suas funções no pleno das suas capacidades”, referiu o vereador com o pelouro da Protecção Civil.

A CMF já se comprometeu a contratar 48 novos bombeiros até 2019, que irão permitir uma renovação do quadro da corporação e um reforço em termos de idade. No programa está também a constituição de novas equipas para aumentar a rotatividade e, consequentemente, a eficiência do serviço.

A última recruta de Bombeiros Municipais do Funchal decorreu em Junho de 2001, há 17 anos atrás.

Outras Notícias