Santos espera “bom teste”

Viseu /
10 Nov 2017 / 02:00 H.

O seleccionador nacional de futebol, Fernando Santos, considera que o jogo de preparação desta noite (20h45) com a Arábia Saudita será “um bom teste” para Portugal, acrescentando que “não há jogos mais ou menos importantes”.

Falando aos jornalistas numa conferência de imprensa realizada ontem à tarde no Estádio Municipal do Fontelo, em Viseu, que será palco do encontro desta noite, Fernando Santos considerou que, apesar do opositor estar posicionado no 63.º lugar do ranking da FIFA, este embate será importante em termos da preparação de Portugal.

“Vai ser um bom teste. Nós desde sempre temos um lema: não há jogos mais ou menos importantes. Temos respeito por todos, consideramo-los da mesma forma e o que importa é o que temos de fazer. É isso que nos norteia em todos os jogos”, sublinhou o seleccionador que levou Portugal à conquista do Campeonato da Europa.

Fernando Santos espera que a Arábia Saudita se apresente em Viseu com uma equipa competitiva. “No sentido solidário, é mais que um jogo de futebol. Mas depois vai começar e é importante analisar a equipa frente a uma selecção que não é do continente europeu. Será um jogo difícil, a Arábia tem jogadores muito rápidos e evoluídos tecnicamente. Também tem algumas fragilidades, mas essas só as vou dizer aos meus jogadores”, sublinhou.

O seleccionador luso não ficou, no entanto, indiferente ao simbolismo que este jogo assume em termo da onda de solidariedade que está a envolver o país. “A FPF associou-se a esta onda solidária. Sabemos que o povo está unido nisto, é solidário nestas matérias. O Estádio do Fontelo já está esgotado e acredito que o povo irá responder, assim como os jogadores e a equipa técnica. Isso também é uma obrigação para nós”, acentuou.

Fernando Santos foi ainda questionado sobre as selecções que considera favoritas a vencer o Mundial do próximo ano, remetendo Portugal para um estatuto de ‘outsider’.

“Favoritos são Brasil, Espanha, Alemanha, Argentina e França. Depois, há um conjunto de equipas que ambicionam chegar lá e uma delas é Portugal”, concluiu o seleccionador português.