Santa Clara tem novo processo disciplinar

Açorianos não inscreveram em três jogos pelo menos dois atletas sub-23 no boletim

14 Mar 2018 / 02:00 H.

No programa ‘2.ª Volta’, da RTP-Açores, emitido na noite de terça-feira, o presidente do Santa Clara, Rui Cordeiro, confirmou que o clube açoriano foi notificado pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional de uma participação disciplinar por não ter inscrito pelo menos dois jogadores sub-23 nos boletins de jogos com União da Madeira (fora), Gil Vicente (casa) e Varzim (fora), conforme obrigado pelo regulamento, mas mostrou-se convicto de que o clube não será penalizado com a perca de pontos.

“Confirmamos a notificação mas perda de pontos não se aplica aqui porque não houve uma reincidência, pois para haver uma reincidência tem de existir uma condenação anterior pela prática do mesmo ilícito regulamentar. Isto não ocorreu, portanto, o Santa Clara não será prejudicado”, garantiu Rui Cordeiro. “O Santa Clara não vai perder pontos, nem será desclassificado, nem cairá nos regionais. As notícias que dão conta disso são assassinas e têm como único objectivo criarem instabilidade”, disse o líder do Santa Clara, confirmando ainda que o assunto foi entregue ao departamento jurídico e que irá responder em conformidade, com o que está previsto na lei”. “Iremos apresentar nossa defesa e estamos com a consciência perfeitamente tranquila quanto à questão de não haver perda de pontos, que é o que interessa”, insistiu Rui Cordeiro.

Recorde-se que este caso surge uns dias depois do Santa Clara ter sido alvo de um processo que está igualmente a ser analisado pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, pelo facto do treinador principal, Luís Miguel Pessoa Pires, que possui habilitação UEFA-Advanced, ao contrário de Carlos Pinto, que apenas tem o curso UEFA-Basic (Grau II), não marcar presença nos jogos, facto que foi denunciado por dois clubes, com provas concretas.

Rui Cordeiro também respondeu a este caso: “O que estão a fazer ao Santa Clara, semana após semana, vai continuar a acontecer, porque causa muita confusão a alguns sectores do futebol português o facto de a dez jornadas do fim do campeonato uma equipa dos Açores estar à frente do campeonato.”

O presidente do Santa Clara denunciou aquilo a que designa de “jogos de bastidores” mas prometeu que o clube que lidera não irá deixar de sonhar e lutar pela subida à I Liga. “Ninguém estava à espera que o Santa Clara e os Açores estivessem aonde estão e o que está a acontecer é uma tentativa de afastar o Santa Clara da luta pela subida de divisão, com jogos de secretaria com tentativas de desestabilizar este grupo de trabalho. A verdade desportiva passa-se dentro do relvado e aí temos demonstrado todos os fins-de-semana que os Açores merecem estar na I Liga”, disse.

Outras Notícias