Samba ‘molhado’ no Caniço

Edição deste ano teve segurança reforçada devido à maior afluência de pessoas

14 Fev 2018 / 02:00 H.

Foi com poucos minutos de atraso que o Cortejo de Carnaval do Caniço teve início. Cerca de 800 foliões participaram no evento, que decorreu pelas principais ruas do Caniço e que teve a trupe Fitness Team a ‘abrir’ o desfile. “Estamos de volta à nossa freguesia. Temos aqui muitas pessoas que nos seguem e estamos muito felizes com o nosso projecto e orgulhosos de poder desfilar aqui no Caniço”, começa por referir Carina Pestana, responsável do grupo. Este ano, “o Carnaval tem sido muito aplaudido, temos sentido um grande carinho vindo do público e estamos muito felizes com o apoio, com as palavras e as mensagens de todas as pessoas”. Em relação à chuva (que pouco ou nada atrapalhou os participantes), Carina assume que prefere desfilar com um tempo mais fresco. “Com a dança, vamos aquecendo e este tempo mais frio acaba por ser melhor”.

Já a Associação ‘Tramas e Enredos’ é estreante no Cortejo de Carnaval do Caniço. A participante Carolina Ferreira mostra a satisfação de estar a desfilar neste cortejo que está a ficar cada vez mais afamado na Madeira. Porém, confessa que tudo passa muito rápido. “Trabalhámos muito para isto acontecer e, quando chega ao fim, queremos ainda mais”. São as participações nos diversos cortejos que fazem esta jovem viver e sentir o Carnaval. “Costuma-se dizer que quem corre por gosto não cansa e tenho sempre mais energia para mais um desfile”.

Entre os espectadores, está um casal que trouxe os afilhados para verem o desfile. “Eles quase que choram para vir”, diz, entre risos, Joaquim Fernandes. Vindos da freguesia ao lado, Santa Cruz, a família assiste ao Cortejo de Carnaval do Caniço quase todos os anos. “São os cortejos e as malassadas que lembram esta época do ano”, remata a companheira, Bruna Vieira.

Após o desfile, as trupes foram convidadas a subir ao palco para mostrarem as suas coreografias e depois foi efectuada a entrega de prémios às melhores trupes e ‘trapalhões’ individuais.

Segurança reforçada

A edição deste ano contou com mais medidas de segurança, visto que a Junta de Freguesia do Caniço, entidade organizadora do evento, previu uma grande afluência de público. Para tal, “não permitimos estacionamentos no percurso do cortejo, nem a venda ambulante na zona onde decorre o desfile, para que as pessoas pudessem estar confortáveis e em segurança enquanto assistem ao cortejo. Além disso, também queríamos que as trupes pudessem desfilar à vontade”, explicou o presidente da Junta, Milton Teixeira.

Outras Notícias