Sagrada Família e Vila Mar premiadas

A Ordem dos psicólogos assinou protocolos com a CMF e com a UMa

14 Jun 2018 / 02:00 H.

O Bastonário da Ordem dos Psicólogos (OP) passou os últimos dois dias na Madeira para fechar acordos com instituições regionais, como a Câmara Municipal do Funchal (CMF) e a Universidade da Madeira (UMa), além de trilhar parcerias com a Segurança Social. Na agenda de Francisco Miranda Rodrigues, esteve ainda a entrega dos prémios ‘Heathly Workplace’ que, este ano, distinguiu duas entidades regionais: o Instituto de Reabilitação Psicopedagógica da Sagrada Família - Irmãs Hospitaleiras, e o Estabelecimento Vila Mar - Lar da Infância e Juventude: “Isto é um prémio para as práticas promotoras de um mercado de trabalho saudável”, mais voltadas para a prevenção do “stress e do burnout dos profissionais”, explicou ao DIÁRIO. Sobre a conquista, diz, “é de salientar que a Madeira recebeu dois primeiros prémios para instituições sociais - com menos recursos que grande parte das empresas, mostram esta preocupação, colocando em curso práticas que protegem os colaboradores”. Tais como? “Envolvem-nos nos processos de decisões. São as lideranças que decidem, mas os colaboradores participam e e sentem uma identidade forte com a organização. Sentem que fazem parte. É um exemplo de algo que pode ser aplicado em qualquer organização do país”.

Já sobre os protocolos assinados entre a OP e a CMF, está confirma-se a “abertura de anos profissionais júnior - de acesso à cédula profissional - e o compromisso da CMF estabelecer protocolos de estágio profissional com a OP” para que profissionais mas ainda com supervisão, adquiriram experiência nos serviços da autarquia”. Além disso, “a CMF já tinha anunciado há meses um concurso para psicólogos para a área de recursos humanos da autarquia. Não sei em que estado está, mas o presidente [da CMF] voltou a confirmar”. Já com a UMa, o acordo assinado vai “estreitar ligações que para possibilitar alguns projectos conjuntos”. Com a Segurança Social, a OP “acertou o que pode dar um projecto piloto: orientações sobre práticas de intervisão e supervisão entre pares. São uma das coisas que podemos fazer para prevenir situações mais difíceis de desgaste dos próprios profissionais. Foi-nos dada abertura para avançarmos com medidas destas e será muito importante para a sustentabilidade da profissão”, já que “há uma falta de recursos que é contrariada pela atitude muito esforçada dos profissionais que conseguem colmatar essas lacunas. São situações complexas aquelas com que eles se deparam e são seres humanos antes de psicólogos”.

O DIÁRIO questionou ainda sobre o projecto piloto “Prevenção na Depressão”, que o secretário regional da Saúde mostrou abertura, em Fevereiro, para avançar na Madeira, mas para já, “ainda não houve desenvolvimentos”. Miranda Rodrigues sublinha “que o que avançou entretanto foram os estágios. Concretizaram-se e já há novos estágios profissionais na calha no SESARAM. Salvo erro, arrancaram com três e vai haver mais”.

Outras Notícias