Resultado incerto até final

05 Fev 2018 / 02:00 H.

    O Famalicão regressou ontem às vitórias, ao vencer por 3-2 na recepção ao Nacional, numa partida que teve o resultado incerto até ao final.

    Jaime Poulson (29 minutos) adiantou os locais, Mateus Silva empatou (37), mas Nuno Diogo ainda recolocou os famalicenses em vantagem (42) antes do intervalo.

    No arranque da segunda parte, Medeiros voltou a empatar (49 minutos), mas Poulson, uma vez mais no local certo há hora certa, fez o 3-2 final (54), terminando com o ciclo de seis derrotas seguidas dos famalicenses.

    O jogo foi dividido, entre dois conjuntos que nunca se renderam, procuraram sempre aproximar-se com perigo das balizas adversárias, mas tecnicamente não entusiasmaram.

    O primeiro lance de perigo pertenceu ao Famalicão, com Poulson a cabecear ao poste, após cruzamento de Mendes (sete minutos). Os madeirenses responderam com um cabeceamento de Júlio César por cima (15).

    O primeiro golo acabaria por surgir aos 29 minutos, quando Feliz recuperou a bola e cruzou para Poulson, que rematou forte.

    Mas, aos 37 minutos, o Nacional conseguiu o empate, com Mateus Silva, que foi titular pela primeira vez, a fazer um pontapé fulminante à entrada da área.

    Aos 42 minutos, Feliz bateu um livre que tinha ‘selo’ de golo, mas o guarda-redes insular estava atento e mostrou credenciais, mas, no mesmo minuto, Nuno Diogo acabou mesmo por fazer o 2-1, ao encostar sem marcação junto ao poste.

    Na segunda parte, a equipa madeirense entrou focada e decidida a recuperar, não dando ‘folga’ à defesa minhota. Aos 46 minutos, Mauro atirou para defesa de Gabriel e, dois minutos depois, uma ‘bomba’ de Mateus ‘esbarrou’ ao poste.

    Os insulares estavam determinados e conseguiram mesmo novo empate, quando Diego Medeiros completou um livre apontado por Murilo (49 minutos), mas os famalicenses também não desistiram e Poulson também soube, de cabeça, após livre marcado por Feliz, completar uma jogada de bola parada que culminou no 3-2, aos 54 minutos.

    Até ao final da partida, assistiu-se, como era de prever, a um jogo mais atacante e intenso por parte do Nacional, enquanto o Famalicão apostava em fazer uma ‘muralha’ defensiva junto à sua baliza, conseguindo evitar novo empate.

    No último lance do encontro, os alvinegros queixaram-se de uma grande penalidade que ficou por marcar, por empurrão de um famalicense a Murilo.