Reportagens desenhadas

13 Ago 2017 / 02:00 H.

‘A reportagem’ foi o tema escolhido para a 28.ª edição do Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora, o maior evento de BD em Portugal e que este ano se realiza entre 27 de Outubro e 12 de Novembro.

A organização justifica a escolha deste género do jornalismo como tema do festival, por permitir uma “liberdade criativa maior” para os artistas, mas sempre subordinada ao relato dos factos.

A BD tem vários exemplos, sobretudo ao nível a novela gráfica, de reportagens desenhadas. Entre os portugueses, Ricardo Cabral tem sido um dos principais desenhadores de viagens e momentos do quotidiano, mas também Cyril Pedrosa tem trabalhos de grande nível neste género.

‘Reportagem Especial’, um álbum digital de Bruno Pinto, Penim Loureiro e Quico Nogueira, sobre as alterações climáticas em Portugal é um dos exemplos de trabalhos que se enquadram no tema do festival.

O AmadoraBD 2017 contará com as habituais exposições temáticas, com retrospectivas de trabalhos relacionados com o tema escolhido e secções dedicadas a autores convidados e aos vencedores da edição anterior.

Nuno Saraiva, que vendeu a edição de 2016 com o álbum ‘Tudo isto é fado!’, estará em destaque na edição deste ano, com uma secção dedicada à sua obra e terá a responsabilidade de desenhar o cartaz do festival.

Na 27ª edição do AmadoraBD, festival desde sempre organizado pela Câmara Municipal da Amadora, foram, premiados álbuns como ‘Fósseis das Almas belas’, de Mário Freitas e Sérgio Marques, ‘Tormenta’, de José Sequeira e André Oliveira, ‘Presas fáceis’, do espanhol Miguelanxo Prado e ‘V de Vingança’, de David Loyd e Alan Moore.

Todos os anos são premiados, entre outras categorias, os melhores trabalhos internacionais, nacionais, revelações, argumento e desenho. O festival também atribui prémios a ilustração.

O Fórum Luís de Camões tem sido o palco principal do festival, nos últimos anos, com uma afluência de milhares de pessoas, ao longo das duas semanas do evento.

Outras Notícias