Recorrer à estupidez para umas valentes gargalhadas

Marque na agenda que no próximo dia 2 de dezembro

09 Nov 2017 / 02:00 H.

Geralmente, todas as histórias começam com o usual “Era uma vez...” e esta que lhe passamos a contar leva já 17 anos de muito choro e barrigas a doer, com muitas gargalhadas à mistura. A dupla humorística mais conhecida do país está de regresso aos palcos madeirenses, cinco anos após a última aparição, numa viagem que os deixa “muito contentes”.

O stand-up comedy em dose dupla volta assim à Madeira, depois dos “múltiplos pedidos de vários fãs”, conforme adiantou a organização do evento. O evento decorre no próximo dia 2 de Dezembro, no Centro de Congressos da Madeira, a partir das 21 horas, contando com a presença de outro talento emergente em termos regionais: João Pedro Ramos.

Juntos pelas anedotas

Falando um pouco do duo nortenho, a própria história da sua comunhão começou a desenhar-se de forma anedótica, literalmente. Tudo começou quando João Paulo Rodrigues (Quim Roscas) estava num bar a contar piadas, tendo na ocasião em plena plateia Pedro Alves (Zeca Estacionâncio). Ambos não se conheciam, mas passaram logo às apresentações, isto porque Pedro Alves terminava todas as piadas de João Paulo Rodrigues.

O agora Quim Roscas já não estava a gostar da ‘brincadeira’ e convidou o actual parceiro para o palco, desafio que foi prontamente aceite. A partir daí, com a experiência improvisada, os dois juntaram-se e complementaram-se, nunca mais deixando de fazer rir os portugueses e percorrendo quase todos os países do planeta, espalhando a sua contagiante veia humorística, principalmente em países com uma vasta comunidade lusa, facto que os leva a viajar para fora do país, pelo menos, duas vezes por mês.

Dessa brincadeira surgiu então o convite para uma entrevista na Rádio Nova Era, no Porto, e mais tarde para fazer parte da equipa das manhãs com Pedro Alves, nascendo então a afamada dupla.

Apenas um ano mais tarde, já eram os humoristas mais requisitados no Norte do país, tendo o salto para a televisão ter-se efectivado por uma questão de tempo.

A participação no ‘123’ a convite de Teresa Guilherme, a ‘Praça da Alegria’, ‘Portugal no Coração’, o DVD ao vivo enquanto dupla e o programa ‘TELERURAL’, tornou desde 2000 esta aventura inesquecível.

O improviso

Quim Roscas e Zeca Estacionâncio já chegaram a juntar cerca de 30 mil pessoas num só espaço e, segundo Vanessa Martins, a agente dos humoristas, “a adesão tem sido sempre muita”.

“As pessoas continuam a querer vê-los e a ter curiosidade. Há até muita gente que lhes seguem de Norte a Sul do país”, contou, antes de esclarecer por onde irá enveredar esta atracção ao vivo.

“É um espectáculo baseado em improviso, com algumas músicas pelo meio e previamente ensaiadas, que não seriam possíveis fazer na hora, mas caso se lembrem de outras também as cantam, até porque João Paulo Rodrigues tem uma boa voz”, explicou Vanessa Martins, sem esquecer os acontecimentos anedóticos que se sucedem na vida de ambos, que também são contados na primeira pessoa.

O preço dos ingressos está fixado em 17 euros para aqueles que queiram reservar o seu ‘cantinho’, valor que aumenta para 20 euros caso adquira o bilhete no próprio dia.

Há cinco anos a sala encheu e desta vez não será exepção, isto a atender pelas expectativas da organização que espera receber muitos interessados em não querer perder pitada do bom humor nacional e regional.

Outras Notícias