Quase todo o norte em túnel

É hoje inaugurada a última fase da Via Expresso de São Vicente a Boaventura

24 Ago 2017 / 02:00 H.

Foram cerca de 81 milhões de euros investidos, obras cujo início ocorreu há mais de nove anos. Finalmente o Governo Regional dá por concluída uma das obras estruturantes, consideradas fundamentais para o desenvolvimento da costa norte da Madeira, a ligação por via expresso, nomeadamente por ‘intermináveis’ túneis, entre a São Vicente e a Boaventura. Na prática, faltará, quiçá, uma última ligação ao Arco de São Jorge e São Jorge, já em Santana, para se completar a costa norte em novas e seguras estradas, em substituição das antigas.

A inauguração será feita como no anterior Governo, com pompa e circunstância, desta feita com o presidente Miguel Albuquerque a fazer as honras pelas 11 horas na que é intitulada a 3.ª fase da ‘Via Expresso Boaventura/São Vicente’.

“Esta empreitada, que estabelece ligação entre as zonas do Norte da Madeira, permitiu a conclusão dos troços rodoviários da Estrada Regional 101, entre Boaventura e Ponta Delgada, com uma extensão de 1.340 metros, e entre a Fajã da Areia e São Vicente, com 2.500 metros”, frisa uma nota da Presidência do Governo Regional. Este último túnel havia sido inaugurado pelo anterior presidente, Alberto João Jardim, a 6 de Outubro de 2011, há quase seis anos e esteve a ser utilizado irregularmente por não ter os equipamentos de segurança.

Nos últimos meses, a obra foi retomada e tudo está pronto para a sua utilização pelos automobilistas. Já a “terceira fase da obra fazem parte os trabalhos das terraplanagens, das drenagens e as estruturas de consolidação e suporte nos troços a céu aberto, assim como todos os trabalhos de pavimentação, sinalização e instalação dos equipamentos de iluminação, segurança, ventilação e rede de combate a incêndios em toda a extensão do traçado”, informa o Governo. “Das duas primeiras fases fizeram parte os trabalhos de escavação e revestimento provisório e definitivo dos quatro túneis e de sete galerias de emergência, com uma extensão total de 1.500 metros”, acrescenta.

Obras apanhadas a meio

Os trabalhos da 3.ª Fase, para estes dois troços, foram orçados em 12,8 milhões de euros, mas no global a obra de ponta a ponta (São Vicente até Boaventura terá custado mais de 81 milhões de euros, ficando a dever-se a sua suspensão as restrições financeiras e de investimentos sentidas pelo Governo Regional e impostas pelo Programa de Ajustamento Económico e Financeiro (PAEF), desde Fevereiro de 2012.

Ainda no início da segunda semana de Agosto, o presidente do Governo visitou o final das obras de requalificação do troço da Estrada Regional 211 que liga a Boaventura (ligação desde a nova Rotunda da Via Expresso junto ao campo Carlos Sé) e o Túnel Eng.º Duarte Pacheco (Túnel do Arco de São Jorge), numa extensão de 5.400 metros, faixa de rodagem de largura média de 6,50 metros e valeta com 0,50 metros, que custou 809 mil euros.

A conclusão dos projectos interrompidos pelo anterior Governo era uma das promessas do actual Executivo regional, nomeadamente os trabalhos nos túneis na Madalena do Mar à Ponta do Sol (inaugurada a 14 de Julho), a continuação da Via Rápida até ao Estreito de Câmara de Lobos (inaugurada a 26 de Abril). Dessas grandes obras que ficaram ‘congeladas’, resta a ligação dos Prazeres à Ponta do Pargo, obra à qual faltaram os milhões.