Quase 3.500 cruzeiros no novo Porto desde 2005

05 Out 2017 / 02:00 H.

Entre 2005 e 2016 passaram pelo Porto do Funchal quase 3.500 navios de cruzeiro (3.432) e mais de 5 milhões de turistas (5.363.297).

Os dados foram apresentados pelo professor e ex-deputado João Lemos, que abordou a evolução do Porto do Funchal e a relação que o mesmo teve no desenvolvimento da cidade ao longo dos anos, numa conferência realizada a semana passada, em Lanzarote (Canárias).

Segundo o actual presidente da Associação de Investigação Científica do Atlântico (AICA), tratou-se de “uma forma de divulgar o Porto e a cidade do Funchal aos cerca de 250 participantes, incluindo os 55 investigadores das ilhas de Canárias”.

Ao longo dos seus 55 anos de existência, o Porto do Funchal sofreu importantes alterações, que se reflectiram na dinâmica alcançada pelo turismo de cruzeiro na Região entre as quais se destaca a transferência do porto comercial para a Zona Franca do Caniçal, no município de Machico, em 2005.

Na sua apresentação, João Lemos descreve esta evolução e as suas características em cinco fases, assim como a evolução do turismo de cruzeiros, nomeadamente quanto ao número de escalas e de passageiros em trânsito, entre 1762 e 2015.

Do arranque dos anos 60
às grandes obras da última década

Se é verdade que foi a partir da década de 60 do século XX que o turismo de cruzeiro começou realmente a desenvolver-se, com os navios de grande dimensão – atingindo o seu o seu primeiro ‘pico’ em 1969, ano em que o Porto do Funchal registou 234 escalas – é a partir dos anos 90 que esta infra-estrutura sofre as mudanças mais significativas.

Entre 1992 e 1997 foram efectuadas várias obras de reparação no porto e em 1998/199 foi construída uma rampa ‘roll on roll off’. Em 2004 foi aprovado o Plano Director do Porto do Funchal, pelo qual se definiu o seu futuro como um porto exclusivamente dedicado ao turismo de cruzeiros e actividades náuticas, libertando a cidade do Funchal da movimentação e transporte de carga. Em 2005 procedeu-se então à transferência dos contentores e dos serviços de cargas e descargas para o Porto do Caniçal, permitindo a que nos últimos 12 anos o Porto do Funchal se dedicasse exclusivamente aos ferries e turismo de cruzeiro.

Face à necessidade de acolher com mais segurança e qualidade os passageiros e tripulantes dos navios de cruzeiro e criar condições ao ‘turnaround’, a 31 de Maio de 2010 foi inaugurada a Gare Marítima da Madeira. Em 2013, e na sequência do aterro de inertes criado junto ao cais da cidade, devido ao temporal do 20 de Fevereiro, iniciou-se a obra de construção de um novo cais, vocacionado também para o turismo de cruzeiro.

Em 2016, o novo Porto registou um total de 294 escalas de navios de cruzeiro e mais de 520 passageiros.

APRAM quer 360 cruzeiros
e 600 mil passageiros para 2018

Em 2017 prevê-se que um total de 297 navios de cruzeiro aportem no Funchal, de acordo com a presidente do Conselho de Administração da APRAM, Lígia Correia. Embora o número esteja longe do ‘pico’ atingindo em 2012 (330 cruzeiros), a dirigente ressalva que “menos navios não quer necessariamente dizer menos turistas”. Este ano os números apontam para 1.800 passageiros por escala (quase mais 700 comparativamente à década anterior). Aquando da comemoração do ‘Dia do Porto’, no passado dia 18 de Julho, Lígia Correia anunciou a meta para 2018: 360 cruzeiros e 600 mil passageiros.

Outras Notícias