PSD vai votar contra a proposta do novo PDM

14 Mar 2018 / 02:00 H.

    O PSD vai votar contra a proposta do novo Plano Director Municipal (PDM) para o Funchal, amanhã, na reunião de câmara pública, por entender que não foram ouvidas todas as entidades competentes.

    Os vereadores social-democratas na Câmara Municipal do Funchal (CMF) alertam que o novo PDM é penalizador, especialmente para as zonas altas, alegando que compromete a construção de novas habitações, não prevê soluções para legalizar as moradias existentes e ainda desvaloriza terrenos, nomeadamente no Monte, na Corujeira, no Pomar, no Trapiche, no Três Paus à Viana.

    “Existem alterações significativas que mudam o sentido do PDM”, considera o vereador do PSD, Elias Homem de Gouveia, que defende uma nova discussão pública do documento junto dos munícipes, dos parceiros, das ordens profissionais e das autarquias que fazem fronteira com o concelho do Funchal.

    No respeita às habitações que estão por legalizar, o novo documento redigido pelo executivo da CMF não prevê qualquer estratégia para a legalizá-las, considera o PSD. “É o adiar de um problema que é grave, especialmente nas zonas altas, e haverá muita dificuldade em cumprir com os parâmetros que este PDM define”, alertou Elias Homem de Gouveia.

    O vereador social-democrata classifica este PDM de “enfraquecido”, considerando que põe em causa o futuro do Funchal e os interesses da população ao não acautelar questões como a alteração de índices. “Não se compreende a modificação, designadamente em certas zonas de São Martinho no que respeita às actividades económicas e áreas agrícolas”, exemplifica Elias Homem de Gouveia.

    A proposta do novo PDM, que aguarda actualização há mais de 10 anos, não convence o deputado do PSD que vai votar contra e bater-se por um documento “mais equilibrado, coerente e coeso” e que garanta “segurança e bem-estar aos seus habitantes”. R.D.F.