PS esmaga e PSD apressa saída de Passos Coelho

02 Out 2017 / 05:00 H.

António Costa é o grande vencedor da noite autárquica. O secretário-geral do PS e primeiro-ministro falou mesmo na teve “maior vitória eleitoral de toda a sua história (do partido)”. O PS impossibilitou o renascer da esperança para o PSD, como também “roubou” autarquias ao seu aliado na governação, o PCP. Este último partido perdeu oito câmaras, alguns bastiões, como Almada, para o PS.

O partido de Costa venceu em grandes centros, como Lisboa, Sintra, Almada, Coimbra, Beja, Castelo Branco, Gondomar, Matosinhos, entre outras.

Já o PSD não conseguiu atingir os objectivos mínimos. Não ganhou os grandes centros, tendo visto a candidata à capital, Teresa Leal Coelho, ser humilhada nas urnas. Pedro Passos Coelho assumiu a responsabilidade por “um dos piores resultados de sempre” do partido em eleições e admitiu não se recandidatar à liderança do partido.

Passos Coelho reiterou que não se demite da presidência do PSD, mas não excluiu a possibilidade de não voltar a disputar a liderança do partido nas diretas que se realizarão no início do próximo ano.

“Farei uma reflexão aprofundada sobre as condições para me submeter a um novo mandato”, disse, explicando que essa reflexão será feita com a sua comissão política, mas será, sobretudo, uma reflexão pessoal.

Assunção Cristas consegiu um bom resultado em Lisboa, ficando em segundo lugar, a seguir ao PS, tendo uma boa votação para as juntas de freguesia da capital. O CDS conquistou mais uma câmara às cinco já detidas.

Outro dos vencedores das autárquicas foi Isaltino Morais, ex-presidente e ex-ministro do PSD, tendo estado a cumprir pena de prisão até há relativamente pouco tempo. Venceu o seu antigo delfim com maioria absoluta.

A norte e na cidade do Porto o independente Rui Moreira foi reconduzido à frente da câmara da Invicta. Após uma campanha polémica em torno da sua candidatura e depois do rompimento do acordo com o PS, Moreira saiu por cima, averbando a maioria absoluta dos votos.

Açores socialistas

Nos Açores, o PS voltou a ser a força política mais votada. Vasco Cordeiro, o presidente, destacou a “grande vitória” do partido no arquipélago, onde conquistou 12 dos 19 municípios, e o aumento de votação nas câmaras e assembleias de freguesia, que demonstra a “crescente implantação no poder local do partido”. “(...) O PS teve uma grande vitória nestas eleições autárquicas, alcançando 12 câmaras municipais em 19 e aumentando a sua votação num conjunto de câmaras, aume tando a sua votação também ao nível de assembleias de freguesia”, afirmou Vasco Cordeiro.

Outras Notícias