Pressão de que lado?

Treinadores são unânimes ao afirmar que este dérbi não é decisivo

Lisboa /
03 Jan 2018 / 02:00 H.

O treinador do Benfica, Rui Vitória, reconheceu ontem o cariz especial do dérbi desta noite no Estádio da Luz, diante do Sporting, a contar para a 16.ª jornada da I Liga, mas não acredita que seja decisivo para as contas do título.

“Naturalmente que, sendo um dérbi e um jogo centenário, é difícil para qualquer uma das partes. Esperamos que seja o Benfica a ganhar, mas sabemos como são estes jogos, que pode cair para qualquer uma das partes. Uns e outros vão ter as suas dificuldades, é um jogo apetecível para qualquer um”, começou por afirmar Rui Vitória, em conferência de imprensa, de antevisão ao jogo.

“Não vejo que seja um dérbi decisivo, pois há 19 jornadas e não basta fazer uma bem. A partir deste jogo, ainda falta mais de uma volta para jogar. Há campeonatos que são decididos nos jogos entre grandes, outros nos jogos com as outras equipas. É um campeonato de pontos, que as equipas têm de ser fortes e onde hoje temos um jogo destes e amanhã temos contra uma equipa que se fecha muito”, analisou.

Em relação aos constantes ataques aos ‘encarnados’ o técnico admite que estes têm como objectivo dividir os adeptos e atingir o clube no coração e já não o presidente, o treinador ou os futebolistas. “Isto já não é um ataque e uma afronta ao presidente, ao treinador, ao assessor do Benfica. É uma afronta ao coração do Benfica e é isso que os benfiquistas têm de entender. Isto foi feito para nos dividir e agora cabe-nos a nós decidir. É tocar no símbolo do Benfica. Dividem-nos se nós quisermos”, rematou.

Chegou a hora de ‘desempatar’

Já o treinador do Sporting disse ontem que a equipa está preparado para vencer o Benfica, frisando que quer desempatar as duas visitas à Luz como técnico ‘leonino’.

“Espero vencer na Luz, assim como os meus jogadores, os adeptos, independentemente do que aconteceu há um ano. O que interessa é o jogo de amanhã [hoje]. Face à grande equipa que o Sporting tem faz-me pensar e acreditar que temos todas as possibilidades de vencer”, começou por referir, recordando: “Na Luz ganhei uma, perdi outra e amanhã [hoje] é o desempate”.

Quanto ao ambiente que envolve o encontro entre ‘águias’ e ‘leões’, Jorge Jesus considera que é uma partida diferente pela “paixão fervorosa dos adeptos” de ambos os lados, acreditando na “capacidade de gestão e de qualidade” da sua equipa, aludindo aos três pontos de vantagem na classificação.

O facto do Benfica estar apenas na luta pelo campeonato é uma vantagem para o rival, segundo o técnico do Sporting. “Têm mais tempo para preparar os jogos por estarem fora [das competições europeias e das taças internas] em relação ao FC Porto e Sporting. Tem essa vantagem, mas na prática não quer dizer que seja um facto”, argumentou.

Por último, Jorge Jesus sublinhou que nem foi preciso motivar os seus atletas para o dérbi, porque “há jogos que dão mais gozo jogar, como o Barcelona, o Real Madrid, o Benfica e FC Porto, é normal”.

“São os jogos chamados grandes, face a todo o cenário e ênfase que se dá na comunicação. Nestes jogos nem é preciso motivar os jogadores porque já o estão”, terminou.