‘Premier’ do Free State suspeito de corrupção

Magashule e a sua filha são suspeitos de estarem implicados num negócio de propriedade que valeu milhões

05 Fev 2018 / 02:00 H.

Ace Magashule diz-lhe alguma coisa? Não? Trata-se do ‘Premier’ – espécie de governador – do Free State, na África do Sul, que esteve no passado recente na Madeira mantendo diversos encontros com o presidente do Governo Regional chegando a assinar diferentes protocolos de cooperação com Miguel Albuquerque. Pois bem, a imprensa sul-africana revelou há poucos dias que Magashule é suspeito de estar envolvido em vários crimes de corrupção juntamente com a sua filha, sobre quem recai toda atenção por registar um “crescimento drástico” da fortuna, sobretudo depois do pai liderar o Free State.

De acordo com as notícias vindas a público, o actual secretário-geral do ANC, supostamente estará implicado por ter apadrinhado grande parte de uma série de propostas governamentais e acordos de propriedade que a sua filha assegurou com o governo provincial sob o controle de Magashule. Uma proximidade que estará a ser alvo de atenção, pelo menos dos ‘media’.

Um dos acordos mais preocupantes, segundo dá nota o News24, o próprio Magashule alegadamente ajudou a garantir que as propriedades detidas pela Free State Development Corporation (FDC) acabassem nas mãos da sua filha. Um contrato de arrendamento de 11 milhões de rands (743 mil euros) está sob a mira local tanto mais pelo facto do gigante petrolífero, Shell, ter supostamente ajudado a Malembe Magashule de comprar uma dessas propriedades da FDC, permitindo que encaixasse mais 9 milhões de rands (600 mil euros).

Ao News24, Ace Magashule disse que não estar intimidado pelo facto da oposição o acusar de corrupção, afirmando que “a lei deve seguir o seu curso. Se alguma coisa foi feita de errado a justiça deve agir, sem medo”. O Premier considera ser uma campanha política: “Querem intimidar-nos porque querem que nos demitamos dessa posição”, disse ao mesmo órgão.

Entretanto, o Governo Regional aposta forte na cooperação política, económica e social com o Free State, de resto, o cortejo da Festa da Flor em Parys é expoente máximo da ligação entre ambos. Miguel Albuquerque chegou a visitar a África do Sul no passado mês de Novembro tendo sido visível o bom relacionamento entre os dois governantes que permite que algumas empresas madeirenses já estejam a beneficiar destes entendimentos e que podem ser extensivos a outros mercados, nomeadamente na Índia.