Praias concorridas sem direito a feriado

Tempo quente e soalheiro foi aproveitado por muitos para irem a banhos

06 Out 2017 / 02:00 H.

O tempo quente que ‘abafou’ o feriado de ontem foi aproveitado por muitos para uma ida à praia já fora de época. Sobretudo na Costa Sul, onde o sol voltou a ser quase uma constante, pelo menos entre Machico e a Calheta, onde muitas das praias costeiras registaram uma significativa afluência de banhistas.

No Funchal, ao final da manhã, espaços balneares como o Complexo do Lido, a praia do Gorgulho ou a Praia Formosa, registavam muito movimento. Ao contrário, os Jardins do Lido, espaço verde também muito procurado pelos funchalenses nos dias de descanso, estava praticamente deserto. No local percebemos porquê, depois do pequeno João ter pisado a relva entretido com uma bola. Não tardou, foi retirado pelos pais, quando estes se aperceberam que o manto verde afinal estava molhado. A relva terá sido regada, e quem arriscou pisá-la, não só ficou com vestígios de água, mas também trouxe consigo alguma lama. Foi o caso da criança, que viu o entusiasmo de correr atrás de uma bola ser travado pela imposição do progenitor. Porque o propósito era aproveitar o bom tempo para brincar com o filhote nos espaços de sombra do jardim, não restou outra alternativa aos pais, senão ir para o largo onde existem duas tabelas de basquetebol, entre o Lido e o Gavinas, e ali se deixarem ficar por alguns minutos, juntamente com ‘meia dúzia’ de crianças e adolescentes, uns com bola, outros com patins em linha, que procuravam tirar partido do recinto.

“É pena num dia como hoje (ontem, feriado) não terem tido outro cuidado com a relva. Com certeza que se tivessem feito a rega ontem à noite hoje já não estaria molhada”, reclamou Francisco, o pai.

Ao lado, na praia do Gavinas, entre madeirenses e turistas, dezenas de banhistas faziam deste recanto uma espécie de local de culto.

O mesmo colorido fomos encontrar na Praia Formosa. Muitos banhistas ao longo do extenso calhau.

Paula juntou o útil ao agradável. Aproveitou a folga proporcionada pelo feriado para “matar o vício”. “Como gosto de praia e o tempo continua de Verão, só podia ser praia”, justificou.

A mesma opção teve Joaquim. Chegou a meio da manhã e só tencionava deixar o calhau “lá mais para o fim da tarde, para aproveitar o dia”, argumentou. Acabado de sair do mar, desvalorizou a inexistência de nadador-salvador, ao contrário da temperatura da água, “está espectacular”, disse.

Quem quis fugir ao sol e às temperaturas mais elevadas, encontrou na Costa Norte condições mais amenas. O tempo predominantemente encoberto foi aproveitado por muitos para desfrutar da natureza. As caminhadas na serra foi também uma das opções de eleição neste 5 de Outubro. Que por ser Dia do Professor, juntou dezenas de docentes em Santana. Passeio que incluiu uma caminhada na levada entre Pico das Pedras e Queimadas.

No Porto Santo, não fossem as muitas nuvens que tornaram o feriado bastante cinzento, o descanso teria sido aproveitado no invejável areal dourado.

Outras Notícias