PianoFest’17 continua hoje com Vitaly Samoshko

Vitaly Samoshko dá recital de piano, hoje, a partir das 21 horas, no Teatro

08 Nov 2017 / 02:00 H.

É considerado um dos maiores talentos ao piano dos nossos tempos. Tendo participado nos maiores festivais do Mundo, ao lado de orquestras e maestros famosos, ensinando também jovens talentos, é conhecido por partilhar o seu amor pela música com públicos e colegas. Chama-se Vitaly Samoshko e é o premiado pianista que hoje vai protagonizar mais um evento musical inserido no PianoFest’17, uma iniciativa da Associação Amigos do Conservatório de Música da Madeira (AACMM).

O recital de piano realiza-se hoje, pelas 21 horas, no Teatro Municipal Baltazar Dias.

“Do encanto da famosa sonata de Beethoven ao mundo fantástico das ‘Cenas para crianças’ de Schumann e exaltação e virtuosismo dos estudos de Scriabin”, o pianista ucraniano vai demonstrar a profundidade do seu aclamado talento em todo o Mundo.

Os ingressos custam 12 euros (compra antecipada), 15 euros no dia e 30 euros (3 concertos diferentes à escolha, o que dá 10 euros cada). Os sócios da ANSA pagam 7,5 euros e os estudantes pagarão 5 euros. Já os sócios da AACMM têm entrada livre, as crianças de 1.º e 2.º Ciclo (quando acompanhadas por adultos) terão entrada livre e os alunos da DSEAM e do CEPAM também terão acesso livre (mediante disponibilidade da sala).

Sobre o pianista

Vitaly Samoshko nasceu em Kharkov (Ucrânia) em 1973 e começou os seus estudos com cinco anos de idade com Leonid Margarius, com quem continuou os estudos em Imola (Itália) na Academia ‘Encontros com Maestro’. O seu talento atraiu atenção depois de ter recebido o 2.º prémio dos concursos internacionais Busoni em 1993, Senigallia em 1995, Montréal em 1996 e Rubinstein em 1998.

O primeiro prémio do Concurso Rainha Elisabeta da Bélgica em 1999 deu azo à sua carreira mundial. Apresentou-se em mais de 25 países, em salas conceituadas tais como Tonhalle (Zurique), Théâtre du Châtelet (Paris), Metropolitan Museum e Steinway Hall (Nova Iorque), Concertgebouw (Amesterdão), Beethovenhalle (Bona), Yokohama Minato Mirai Hall, Okayama Symphony Hall, Kyoto Concert Hall (Japão) e Teatro Gran Rex em Buenos Aires.

Tocou com orquestras tais como a Filarmónica de Tóquio, Sinfónica de Montréal, Filarmónica de Luxemburgo, Nacional de Bélgica, Sinfónica Estatal de S. Petersburgo, entre outras, e foi dirigido por maestros conceituados, tais como Charles Dutoit, Edvard Tchivzhel, Marc Soustrot, Gilbert Varga, Mendi Rodan, Georges Octors, Kazufumi Yamashita, David Shallon, Arthur Fagen, Otaka Tadaaki, Louis Langrée, Paul Daniel and David Angus.

Desde 2001 reside na Bélgica. Gravou vários CDs com obras de Schubert, Schumann, Scriabin, Prokofiev e Rachmaninov. Desde 2007 faz parte de júris de concursos internacionais. Em Maio de 2009 gravou um CD com o ‘Concerto n.º 3’ de Rachmananinov.

Outras Notícias