Petição propõe alteração no nome da escola

Pedido já com dois anos, voltou a ser enviado a Miguel Albuquerque

01 Jan 2018 / 02:00 H.

Os responsáveis pela petição pública que defende a atribuição dos nomes dos dois fundadores do ensino secundário em Machico, Ariete e Emídio Queiroz Lopes, na designação da Escola Básica e Secundária de Machico, não desistem de reclamar junto do Governo Regional a alteração proposta.

Depois de já em 2015, por ocasião das bodas de ouro do ‘liceu’ de Machico, ter proposto ao presidente do Governo, Miguel Albuquerque, que era “de toda a justiça perpetuar publicamente o nome dos seus fundadores atribuindo numa situação oportuna à Escola Básica Secundária de Machico o nome ‘Escola Básica e Secundária Drs. Aríete e Emídio César Queiroz Lopes’, Zita Cardoso, na qualidade de uma das representantes dos antigos alunos, já este ano voltou a insistir, remetendo para a Quinta Vigia a petição com “as assinaturas da maioria dos professores de então” e que se acordo com esta proponente “são 450 assinaturas, mas poderiam ser 4.500”.

Em Abril deste ano, com a subscrição de 450 ex-alunos (pessoas do meio religioso, militar e civil) voltou a solicitar “a atribuição da complementaridade do nome da Escola Secundária de Machico para o nome: Drs. Ariete e Emídio Queiroz Lopes”, lembrando que este casal ainda vivo foram “os fundadores do ensino secundário em Machico, em 1965”. Considera por isso que “humanamente a Região deve-lhes este reconhecimento em vida”, salientou, sem esquecer outros ilustres professores já octogenários, como o Prof. Virgílio Pereira e os doutores Manuela Pereira e Manuel Fernandes.

Esta insistência surge depois de já em Outubro de 2015, por ocasião dos 50 anos “do 1º estabelecimento educativo fora do Funchal – Colégio Misto Externato Tristão Vaz Teixeira”, ter enviado para Miguel Albuquerque um resenha histórica da escola que nasceu “num ciclo de pobreza, de analfabetismo e colonialismo” para concluir que era “de toda a justiça perpetuar o nome dos seus fundadores atribuindo numa situação oportuna à EBSM o nome Escola Básica e Secundária Dra. Ariete e Emídio César Queiroz Lopes’”.

Dias antes, a Assembleia Municipal de Machico aprovava por unanimidade um Voto de congratulação pelo cinquentenário da inauguração do Colégio ‘Externato Tristão Vaz Teixeira’, destacando “o valoroso empenho e inegável mérito dos seus fundadores e directores”.

Enquanto aguarda por resposta da Quinta Vigia, Zita Cardoso espera que as memórias não continuem a ser esquecidas e seja possível concretizar o devido reconhecimento aos dois fundadores já de idade muito avançada. Ariete Aguiar, natural de Machico, conta já com 92 anos, enquanto o marido, Emídio Lopes, natural do Porto, completa 88 anos no penúltimo dia do ano. Ambos fundaram e dirigiram o Externato de Machico durante 11 anos, até ser estatizado em Julho de 1976.