Pesca bate recorde e já ultrapassa os 20 milhões

O valor recorde, em 2014, no montante de 17 milhões, foi batido

14 Nov 2017 / 02:00 H.

Já foi ultrapassado a barreira dos 20 milhões de euros relativamente ao peixe descarregado em lota. Esta quantia faz colocar a temporada de 2017 como o melhor ano de sempre uma vez que, por esta data, foi ultrapassado o valor recorde, atingido em 2014, no montante aproximado de 17 milhões de euros.

Segundo o secretário regional da Agricultura e Pescas, “trata-se de uma situação pouco vulgar”, mas que, no entender do governante, “deve-se ao esforço dos armadores e pescadores” e também às condições criadas ao nível de equipamentos e estruturas ao dispor do sector pesqueiro.

“Este mandato desde início está a ser marcado pelo forte investimento em infra-estruturas. Sentimos a necessidade de reabilitar e modernizar alguns edifícios, como foi o posto de recepção de pescado do Porto Moniz ou o reperfilamento do Porto do Caniçal que está em curso, para dar melhores condições de trabalho e de segurança ao pescador”, disse Humberto Vasconcelos, adiantando que a melhoria das novas condições, aliado ao esforço dos pescadores, tem levado aos acréscimos no valor do pescado descarregado, o que se traduz num maior rendimento ao pescador.

A propósito de novos investimentos, Humberto Vasconcelos garante que em 2018 será, também, um “ano importante para as pescas”, não só com o início da obra da lota do Funchal, que irá requalificar igualmente a zona, mas também a previsão de novos fundos comunitários, possibilitando o “acesso à renovação de frota”, uma aspiração de muitos armadores.

“É uma ambição que temos, pois sabemos que há barcos muito velhos. Mas estamos convencidos que em 2018 essa renovação possa ser uma realidade”, afirmou.

Primeiros seis meses

Os primeiros meses de 2017 deram sinais que a temporada iria correr de feição para o sector das pescas na Madeira. Com as capturas de pescado descarregado na lota e o valor que foi pago pelas espécies de peixe, o optimismo era nota dominante entre os armadores das 100 embarcações da frota regional que dão trabalho a pouco mais de 600 pescadores.

Até Junho deste ano, e face a igual período de 2016, a quantidade do pescado aumentou quase 21%, sendo certo que atingiu perto de 80% de todo o peixe capturado no ano passado. Os meses seguintes confirmaram que 2017 será um ano excepcional.

O 1.º semestre de 2017 caracterizou-se por aumentos homólogos tanto nas quantidades capturadas de pescado (+20,9%, cifrando-se o total dos primeiros seis meses deste ano em 4.677,6 toneladas) como no valor de primeira venda (+25,0%, sendo o total semestral de 12,3 milhões de euros).

Resumindo, 2017 já ultrapassou também os totais de capturas de 2013 (4.171 toneladas), 2011 (4.453 toneladas) e aproximou-se de 2010 (4.683 toneladas), anos mais recentes, ultrapassando ainda os longínquos anos de 1980 e 1981 e em várias décadas antes de 1976.

Outras Notícias