Pernas para andar

13 Set 2017 / 19:16 H.

A Semana da Mobilidade versão 2017 foi apresentada ontem na Câmara Municipal do Funchal, uma actividade que visa envolver e sensibilizar os residentes para a melhoria da qualidade de vida na cidade.

Actividades pedonais, o uso de bicicleta ou a utilização de transportes públicos, coadunam com os princípios da sustentabilidade e estarão igualmente em foco entre este sábado e o próximo dia 22, ao longo da placa central da Avenida Arriaga.

Será durante quase uma semana que o Funchal terá ‘pernas para andar’, convidando todos a participar em caminhadas, passeios de bicicleta, aulas de zumba, aeróbica, yoga, entre outras ‘mobilidades’.

Domingos Rodrigues, vereador da CMF com o pelouro da Protecção Civil, conduziu a sessão de apresentação desta iniciativa, salientando algumas medidas e projectos que estão a ser implementados no Funchal, e que “obviamente ultrapassarão a Semana da Mobilidade”.

Sendo assim, integrado nesta estratégia, estão a decorrer obras na Avenida Zarco Sul, a fim de reestrutrar este espaço para a partilha entre automóveis e peões, com acessibilidades para os transeuntes e deficientes visuais.

“A Rua do Favilha, a Praça do Turista e a Rua Imperatriz Dona Amélia estão exactamente dentro do mesmo conceito. Serão zonas pedonais ou de espaço partilhado, havendo coexistência com os automóveis, mas que serão capazes de receber todo o tipo de pessoas em função das suas limitações”, informou Domingos Rodrigues.

No primeiro dia do evento, pelas 10 horas, será inaugurado o novo posto de carregamento eléctrico no Edifício 2000, seguindo-se a volta à ilha em veículos movidos com esta energia, à semelhança do que se sucedeu no ano transacto.

Apelo à mobilidade

Os 130 novos estacionamentos no Bairro da Nazaré, o que “implica melhorias no tráfego automóvel”, é outra das medidas tomadas pela autarquia frisadas pelo vereador, sem esquecer que desde que este bairro foi feito “muita coisa mudou”, daí existir “um excesso de estacionamento indevido” nesta zona.

Na Avenida da Madalena, parte Norte, a inexistência de atropelamentos durante este ano, “algo que se verificava com alguma periodicidade”, foi um factor positivo a salientar dada a introdução de medidas de “acalmia de tráfego”, contribuindo assim para a segurança dos peões.

A Estrada Monumental ficará também dotada de uma ciclovia desde o início até ao seu término. O objectivo passa por ‘transferir’ esta via destinada às bicicletas para junto da estrada e para o outro lado, para que só circulem os ciclistas, um projecto financiado pelo programa europeu CIVITAS, projecto que visa implementar soluções de mobilidade nos países aderentes.

Outras Notícias