Penedo do Sono vira alojamento local

A concessão é válida pelo prazo de 25 anos e terá um valor mínimo de 952.332 euros

30 Nov 2016 / 17:58 H.

O espaço comercial situado no Penedo do Sono vai deixar de ser espaço de restauração para passar a ser uma unidade hoteleira ou de alojamento local. É pelo menos isso que define o teor do caderno de encargos do concurso público que o Governo Regional pretende lançar através da Sociedade de Desenvolvimento do Porto Santo.

Segundo se lê na redacção “a concessão de exploração dos espaços é válida pelo prazo de 25 anos e terá um valor mínimo de 952.332 euros, valor este que tem já subjacente o necessário investimento privado que será necessário realizar para reabilitar e rentabilizar o espaço”.

Refere ainda que “a concessão nunca poderá limitar ou impedir o acesso e a utilização à comunidade local à área concessionada”, acrescentando que “as propostas devem ser apresentadas até às 23 horas do dia 12 de Janeiro de 2017 e o critério no qual se baseia a adjudicação é o da proposta economicamente mais vantajosa”.

De resto, “o objectivo é a rentabilização do espaço, visando o desenvolvimento turístico e económico daquela localidade, no cumprimento de desígnios de interesse público regional, já que esta é também uma forma de contribuir para o desenvolvimento económico da Ilha do Porto Santo”.

Custou 2,3 milhões

Pertencente à Sociedade de Desenvolvimento do Porto Santo, a infra-estrutura é constituída por nove módulos em banda e custou aos cofres da Região cerca de 2,3 milhões de euros. Cada módulo tem uma área total distribuída por dois pisos de 195 m2 e uma varanda com 45 m2 e um logradouro fechado envolvendo a totalidade da infra-estrutura.

Tornar rentável

A concessão tem por finalidade a instalação e exploração de um estabelecimento hoteleiro ou alojamento local, com a realização dos respectivos investimentos, incluindo restauração e realização de quaisquer eventos sociais e culturais de acordo com elevados padrões de qualidade necessários a garantir a melhoria e consolidação da oferta turística na zona marítima do Porto Santo.

Para o efeito, poderão os interessados promover a edificação de novas construções, de exclusiva responsabilidade sua e sujeitas a aprovação prévia da Sociedade.

Outras Notícias