Passeios que nos levam às alturas

‘Madeira Green Train’ inicia viagem em Câmara de Lobos e sobe até ao Cabo Girão

17 Jul 2017 / 02:00 H.

A empresa ‘Madeira Green Train’ oferece a possibilidade dos passageiros do famoso comboio verde conhecerem Câmara de Lobos de uma forma diferente, visitando ainda um miradouro que fica a 580 metros do nível da água do mar.

Luís Alves abriu a empresa pois tinha necessidade de sair da situação de desemprego em que se encontrava. Antes tinha trabalhado numa área que nada tinha que ver com o turismo, mas esta revelou-se uma oportunidade que não podia perder. Certo de que uma empresa de animação turística seria uma boa aposta, iniciou a busca por algo de diferente para oferecer à ilha. Corria o mês de Fevereiro de 2014 quando começou a pesquisar por algo diferente. Foi nos Açores que encontrou inspiração.

“Vi que tinham um comboio que realizava passeios no centro de São Miguel e achei uma boa ideia para implementar no Funchal”, contou ao DIÁRIO. Daí à criação da empresa passaram quase nove meses. No entanto, o licenciamento camarário para o Funchal não aconteceu, o que levou a uma mudança de planos. Assim, Câmara de Lobos tornou-se uma boa hipótese, que se veio a concretizar, também graças ao apoio do IDE (Instituto de Desenvolvimento Empresarial), na área de inovação e empreendedorismo.

Todos os dias realizam-se quatro viagens às 11h30, 13h30, 15 horas e 16h30. O percurso tem início no centro da cidade, indo até ao largo do Poço e subindo até ao Cabo Girão, onde permanece cerca de 20 minutos para que os passageiros possam apreciar a paisagem a 580 metros de altitude do referido miradouro.

Luís Alves reconhece que quem mais procura este tipo de passeios são os turistas, o que faz que à segunda e terça-feira não exista tanta procura. “São os chamados dias de entrada e saída da ilha”, explica ao DIÁRIO. A maioria dos passageiros vem acompanhado, isto é, normalmente são casais que optam por esta forma de conhecer Câmara de Lobos. A média de idades daqueles que procuram este serviço situa-se nos 50/60 anos. Felizmente para a empresa, o bom tempo característico da Madeira acaba por fazer com que este não seja um negócio sazonal, com o comboio a poder realizar viagens praticamente todos os dias.

A empresa conta com três funcionários a tempo inteiro, onde se inclui Luís Alves, o gerente, mas também a responsável pela comunicação e venda de bilhetes e um outro condutor.

O comboio verde, que foi encomendado a uma empresa portuguesa, gerou alguma desconfiança no início. A verdade é que consegue subir o íngreme caminho até ao Cabo Girão, principalmente se andar apenas com uma carruagem, capaz de transportar 20 passageiros. “Acabamos assim por estar a trabalhar a ‘apenas meio gás’”, assumiu.

O principal desafio no início foi mostrar que não estavam a chegar para roubar clientes a ninguém. A sua oferta era diferente e para passeio, com um roteiro fixo, bem como os preços.

Nos anos de 2015 e 2016, a média de facturação fixou-se nos 5 mil euros. Luís Alves lamenta que o negócio não possa ser mais rentabilizado devido às condições exigidas para que o comboio possa percorrer outras ruas de outras cidades. Em média, por dia o comboio transporta 30 pessoas, número que poderia ser mais elevado caso o comboio conseguisse suportar duas carruagens na subida para o Cabo Girão.

Por enquanto, é assim que operam e tentam encontrar mais alternativas para conseguir fazer face à competitividade do mercado.

Aí vem a Noiva!

Os passeios de comboio são uma alternativa para conhecer a ilha. Mas aqueles que já a conhecem e que esperam algo diferente para, por exemplo, o dia do seu casamento, podem contar com a ‘Madeira Green Train’.

É tudo uma questão de contactar a empresa e perceber que tipo de serviço e de percurso se pretende fazer. Sim, porque para o comboio poder andar pelas estradas necessita de uma licença específica concedida pela autarquia.

No entanto, Luís Alves já protagonizou transportes dos noivos, padrinhos e outros convidados, num total máximo de 40 pessoas, desde a igreja até ao local para tirar fotografias e depois para o local do copo-de-água.

Além disso, este serviço é capaz de captar mais interessados. O “comboio verde” atrai a atenção dos mais novos e tem vindo a revelar-se um autêntico sucesso entre os participantes em ATL’s e campos de férias. Nesses casos, existem preços especialmente pensados para grupos.

Por outro lado, há passeios para serem realizados a bordo de um BMW X5. Esta oferta diferente possibilita viagens de meio dia ou de um dia inteiro, para um máximo de quatro pessoas. Quanto ao custo, esse é de 80 e 160 euros, respectivamente. No fundo, esta é uma alternativa diferente, que permite mais paragens e conhecer mais sítios. Quando falamos do passeio de comboio estamos a falar de uma viagem que dura cerca de uma hora e dez minutos, a um ritmo mais lento, mas que permite captar fotografias com mais facilidade e comodidade, bem como apreciar a vista do miradouro do Cabo Girão.

Mais percursos e mais concelhos

Rentabilizar o negócio que já existe é um dos grandes objectivos de Luís Alves. O projecto estava inicialmente pensado para o Funchal, algo que não se concretizou, mas que o gerente quer que seja uma realidade em breve.

“O comboio funciona como uma centopeia, isto é, onde passa a ‘cabeça’ passa também o resto do corpo”, explica. Assim, viajar pela Zona Velha do Funchal pode ser uma alternativa, bem como fazer a ligação entre a zona do Lido e Câmara de Lobos. Tudo vai depender das licenças necessárias porque no que diz respeito ao interesse da empresa, esse não falta.