‘Pão Tradicional da Madeira’ com manual de boas práticas

13 Nov 2017 / 02:00 H.

Acabou de ser aprovado, pela Secretaria Regional de Agricultura e Pescas, o ‘Manual de Boas Práticas de Higiene na Produção de Pão Tradicional da Madeira – Pão de Casa’.

O documento, publicado agora no ‘site’ da Secretaria, tem como principal objectivo garantir medidas que atestem a genuinidade e qualidade do pão tipicamente regional, ao mesmo tempo que constitui um instrumento fundamental para auxiliar os operadores da cadeira alimentar para o cumprimento de regras e princípios de higiene e segurança alimentar para a produção e comercialização de pão.

Por outro lado ajuda a conferir ao consumidor uma garantia de qualidade do produto.

Na opinião de Humberto Vasconcelos, secretário regional de Agricultura e Pescas, o vasto documento agora apresentado e elaborado pela Direcção Regional de Agricultura reveste-se de grande importância para a perpetuação de um dos principais produtos tradicionais madeirense - o Pão Tradicional da Madeira.

“O pão faz parte cultura regional e é nosso dever preservar as tradições regionais, não esquecendo também o importante contributo gastronómico que estamos a assegurar, não só para a Região, mas também para quem nos visita”, disse Humberto Vasconcelos, secretário regional de Agricultura e Pescas, adiantando que agora é possível num só documento ter acesso à legislação, os equipamentos e utensílios ideais, história e matérias-primas, entre outros. “Um instrumento fundamental para quem quer fazer o genuíno Pão de Casa”, concluiu.

O manual apresentado surge na sequência de um trabalho que tem sido feito pela secretaria de Humberto Vasconcelos onde já em 2016 foi publicado o Decreto Legislativo que estabeleceu o regime relativo à produção e comercialização do Pão Tradicional da Madeira.

Importa referir que na Região existem diferentes variedades de ‘Pão Tradicional da Madeira’ entre os quais se destacam o ‘Pão de Casa’, o ‘Bolo do Caco’, o ‘Bolo de Noiva’, a ‘Broa de Milho’, entre outros.

No que diz respeito ao ‘Pão de Casa’, este é comercializado sob diferentes denominações associadas à indicação da sua proveniência como ‘Pão de Gaula’, ‘Pão de Santana’ ou ‘Rosquilha de São Vicente’ por exemplo, ou utilizando qualificativos que procuram atribuir uma conotação de tradicionalidade, como seja o ‘Pão de Batata’.

Após este manual referente à produção tradicional de ‘Pão de Casa’ serão elaborados outros manuais para as diferentes variedades de ‘Pão Tradicional da Madeira’, como é o caso do ‘Bolo do Caco’.