O 25 de Abril de 74 focado

22 Abr 2017 / 02:00 H.

    Afastado da política activa e partidária desde 2011, Bernardo Martins voltou-se novamente para os estudos. Nos últimos dois anos dedicou-se à investigação no âmbito do mestrado em Estudos Regionais e Locais pela Faculdade de Artes e Humanidades da Universidade da Madeira. O resultado da sua tese é agora publicado em livro numa edição da Câmara de Machico.

    A obra, que vai ser publicamente apresentada no próximo sábado, 29, destaca o período conturbado do 25 de Abril de 1974 em Machico. O autor estabelece a marca temporal de um ano e estuda esse tempo até Abril de 1975. Mas não é só na Revolução que se baseia o livro. O foco essencial é mesmo o papel do Centro de Informação Popular de Machico nesse ano agitado.

    O ‘dois em um’ é assumido por Bernardo Martins que associa a história dos movimentos populares à do Centro de Informação Popular de Machico. Recorda que essa associação, criada após o golpe militar, esteve ligada a diversas formas de intervenção, quer como entidade promotora, quer como apoiante. O livro indica alguns desses momentos: “A alteração da gestão municipal, a extinção da colonia, o cooperativismo, o combate ao separatismo e a melhoria das condições de vida de diversos sectores profissionais, como as bordadeiras, os trabalhadores das conservas, os baleeiros, os operários da construção civil e os trabalhadores da hotelaria”.

    Da investigação desenvolvida por Bernardo Martins resulta ainda a ideia clara do trabalho que o Centro teve em actividades culturais e educativas. “O CIPM contribuiu para a expansão dos ideais da ‘Revolução dos Cravos e influenciou a transformação socioeconómica, política e cultural de Machico e da Madeira”, conclui o autor.

    Ao DIÁRIO, Bernardo explica que o trabalho inédito que ganha agora forma de livro foi “feito com base na investigação dos documentos e das notícias alusivas ao período revolucionário de Machico e da Madeira e ao próprio CIPM, complementada com depoimentos de fundadores esta agremiação”.

    A abordagem desenvolvida no âmbito do mestrado, que teve a orientação de Nelson Veríssimo, professor da Universidade da Madeira, “teve em conta os princípios do rigor, da objectividade e da imparcialidade”, garante Bernardo Martins. E revela que o trabalho publicado observa “diferentes posições das várias entidades e forças políticas envolvidas”. Também por isso, o livro procura ser um contributo para compreender melhor Abril na Madeira e, sobretudo, em Machico.

    A edição é assumida pela Câmara Municipal, entidade a quem o autor cedeu gratuitamente o seu trabalho. O livro, que inclui também uma mensagem de Ricardo Franco, o actual presidente da autarquia, será formalmente apresentada sábado, dia 29, às 19 horas, no Salão Nobre da Câmara de Machico.