Novo investidor no Portinho até ao Verão

Administrador Peer Henning Borg esteve na Madeira e anunciou injecção de capital para avançar com a obra

19 Mai 2017 / 02:00 H.

Um novo investidor deverá assumir, até ao início do Verão, a maioria do capital do projecto hoteleiro aprovado para a zona do Portinho, no Caniço. A informação foi avançada ao DIÁRIO por Peer Henning Borg, administrador executivo do fundo dinamarquês ‘Blue Vision’, que desde o final de 2014 controlava a empresa ‘Portinho – Investimentos e Projectos Imobiliários’.

“Estamos em negociações com um novo investidor [de um país da União Europeia, mas não de Portugal]. Já assinámos um memorando de entendimento e agora teremos negociações de detalhes. A nossa expectativa é ter tudo concluído até meados/finais de Junho”, referiu o administrador, que há duas semanas esteve na Madeira para se inteirar da situação do projecto. Peer Henning Borg adiantou que o fundo ‘Blue Vision’ vai continuar associado ao empreendimento do Portinho, mas que a maioria do capital da empresa será detida pelo novo investidor: “Apaixonámo-nos por este local. Queremos continuar, embora com uma participação societária minoritária. Precisamos do apoio financeiro que é maior do que nós próprios podemos disponibilizar”.

Resolver as acções em tribunal

Nesta fase os responsáveis pelo empreendimento estão a “proceder a ajustamentos” e a “corrigir os problemas” herdados do anterior proprietário. Há algumas acções a correr nos tribunais, uma das quais é uma execução no valor de 12,5 milhões de euros movida pelo banco russo Genbank contra a ‘Portinho – Investimentos e Projectos Imobiliários’. “Vamos resolver todas as acções em tribunal antes da entrada do novo investidor”, assegura o administrador dinamarquês, que admitiu que o projecto já teve “tempos difíceis” mas que está fora de hipótese a liquidação da empresa. O encerramento da sociedade e venda do seu património foi proposto por um pequeno investidor numa reunião recente da assembleia geral mas obteve a concordância de “apenas 0,2 por cento dos investidores”.

O plano passa agora pela citada alteração societária e por “construir [o hotel do Portinho] assim que for possível”. Sem querer revelar quem é o novo investidor, Peer Henning Borg descreveu apenas que é um grupo com “experiência e know-how de outros hotéis e que vai colocar a sua própria marca no hotel”, que não será gerido pela cadeia Gran Meliá Hotels International, como chegou a estar previsto.

O projecto arquitectónico e o montante do investimento mantêm-se basicamente como na ideia original.

O Caniço ganhará, pois, uma unidade de 5 estrelas, com 159 quartos e 148 apartamentos turísticos, numa obra avaliada em 75 milhões de euros.

Projecto já teve três donos

Recorde-se que o empreendimento já teve pelo menos três grupos de investidores.

O primeiro pedido de licenciamento foi entregue na Câmara de Santa Cruz em 2011 pelo empresário do ramo imobiliário Paulo Nóbrega. Em 2013, o projecto foi vendido à sociedade ‘Portinho – Investimentos e Projectos Imobiliários’, detida pelo grupo russo Infina, liderada por Sergey Shevchuk (80%), e pelos empresários madeirenses Tomé e José Maria Brazão (20%). No final de 2014, o fundo ‘Blue Vision’ assumiu o controlo.

Outras Notícias