Nacional e União querem o fim

direcção da liga debate hoje propostas de alteração ao regulamento

09 Fev 2018 / 02:00 H.

A direcção da Liga vai reunir-se esta tarde com uma comissão de clubes da II Liga para debater importantes alterações sobre as equipas B, para serem introduzidas já na próxima época, mormente a proibição dos jogadores das equipas principais competirem nas formações secundárias.

Ainda que existam várias propostas em cima da mesa, que serão hoje discutidas, aquilo de que não abdicam no imediato os clubes da II Liga, entre os quais se incluem o Nacional e União, é que os plantéis das equipas B tenham um grupo fixo de 27 jogadores, perfeitamente identificados, como qualquer equipa tem, com a possibilidade de subirem à equipa A, o mesmo não acontecendo ao contrário, isto é, nenhum jogador da equipa A, como é habitual, poderá descer à equipa B.

Entendem os clubes da II Liga que, por força desta circunstância, a competição está desvirtuada, que a verdade desportiva é muitas vezes posta em causa, e que é preciso travar aquilo a que designam de “concorrência desleal”.

Para além desta ideia, na proposta de alteração aos regulamentos está vincado que, excepcionalmente, na época desportiva 2018/2019 desçam directamente ao Campeonato de Portugal o último classificado da II Liga e a equipa B pior classificada desportivamente, independentemente da classificação obtida na época desportiva em causa, o mesmo devendo acontecer na temporada seguinte, como forma de reduzir o número de formações secundárias no segundo escalão do futebol português - a intenção é de apenas ter três equipas B na II Liga, sem que outras tenham hipótese de subir.

Aumento do custo da inscrição das formações secundárias, que actualmente se cifra nos 50 mil euros para todos os clubes, valor que é distribuído, de forma equitativa, pelos restantes emblemas do segundo escalão, também é uma das intenções dos clubes da II Liga.

Defendem que os clubes com orçamentos inferiores a 15 milhões de euros, como é o caso do Vit. Guimarães, deveriam pagar 200 mil euros pela inscrição da equipa B, que as colectividades com orçamentos entre 15 e 25 milhões, como acontece com o Sp. Braga, devem pagar 300 mil euros, enquanto todas as que têm orçamentos superiores a 25 milhões de euros, como Benfica, FC Porto e Sporting, terão de pagar 500 mil euros.

Ora, mantendo-se o actual cenário, ou seja, nenhuma equipa B descer, na próxima época, caso seja aprovada esta alteração, serão distribuídos pelos outros 13 clubes da II Liga - competição em 2018/19 passará a ser disputada por 18 clubes - dois milhões de euros, que permitiria um encaixe acima dos 150 mil euros.

O impedimento da inscrição de jogadores com mais de 23 anos nas equipas B é outra das propostas que estarão logo em cima da mesa.