Miguel Nunes ‘dourado’

Miguel Nunes venceu no Porto Santo mas João Silva continua líder do Regional

15 Abr 2018 / 02:00 H.

A dupla Miguel Nunes/João Paulo, em Citroen DS3, foi a grande vencedora da 20.ª edição do Rali Porto Santo Line, segunda prova do Campeonato da Madeira Coral de Ralis, após animados e vibrantes duelos, ‘mesmo aqui ao lado’, que garantiu aos vencedores a conquista de 29 pontos para o regional - 25 da geral, mais um pela vitória na ‘power stage’ e três pelo maior número de vitórias em classificativas.

E, neste último particular, a derradeira ‘especial’ do dia acabou por ser decisiva, pois nessa altura Miguel Nunes, João Silva (Citroen DS3), que foi segundo, e Alexandre Camacho (Skoda Fabia), terceiro, contavam, cada um, com duas vitórias.

Miguel Nunes acabou por ser o mais competente e sai da Ilha Dourada com menos dois pontos do que João Silva (49 contra 47) na luta pelo título de campeão absoluto, enquanto Alexandre Camacho, que não foi feliz, está agora a 11 pontos do líder.

Com efeito, após um furo, na recta final da terceira classificativa, a segunda do dia, o piloto do Team Vespas ‘entregou’ a decisão da corrida a Miguel Nunes e João Silva.

Alexandre Camacho e Jorge Pereira, depois de terem perdido mais de dez segundos por tal infelicidade, ainda tentaram minimizar os ‘estragos, vencendo a quarta prova especial (Capela da Graça 3), mas fechavam a segunda secção já a 5,8 segundos de Miguel Nunes, enquanto João Silva, sempre capaz e seguro, estava a apenas 1,7 segundos da liderança.

Na passagem para terceira secção, com as equipas a percorrem a ‘aventura’ de 11,21 km em sentido contrário, João Silva entrou ao ataque e venceu a primeira da tarde, ficando a somente um segundo exacto de Miguel Nunes, enquanto Alexandre Camacho perdia segundos preciosos e ficava definitivamente arredado da luta pelo triunfo.

Quando o rali estava bem ‘quente’, tal como o tempo, o líder do rali ‘matou’ as aspirações da equipa da FX Hotelaria, vencendo a penúltima classificativa do rali com 3,1 segundos de vantagem, que davam para gerir, ainda que, como foi referido, faltassem quatro pontos preciosos por atribuir.

E, nesse particular, motivado e seguro, com enorme classe, Miguel Nunes garantiu mais uma vitória no último momento do rali, terminando a prova com 5,1 segundos de vantagem para João Silva, enquanto Alexandre Camacho quedava-se pelo terceiro lugar, a uns distantes 15,5 segundos do vencedor.

Seguiu-se na classificação Rui Pinto, em Ford Focus WRC, que nunca mostrou andamento para chegar mais longe, seguido de Filipe Pires e de Pedro Paixão, um jovem que voltou a provar que poderá ser num futuro bem próximo um caso muito sério.

Destaque final para o imenso público que se espalhou ao longo dos 11,21 km do troço, sempre com grande entusiasmo e com espírito de convívio, que provam a importância do Rali Porto Santo Line. A prova mais dispendiosa do campeonato mas que do ponto de vista social e económico é de grande importância para a Ilha Dourada.

Outras Notícias