Menos mortos na estrada mas com mais acidentes

Quatro pessoas morreram nos primeiros seis meses deste ano nas estradas da Madeira, menos duas do que em idêntico período de 2016. Contudo, aumentaram os acidentes e os feridos graves

16 Jul 2017 / 02:00 H.

No primeiro semestre deste ano já foram registadas quatro vítimas mortais nas estradas da Madeira. Um número inferior ao que se verificara em idêntico período do ano passado, onde foram contabilizados seis mortos em consequência de acidentes de viação.

Estes dados fazem parte da contabilização efectuada pela Polícia de Segurança Pública (PSP), através do Comando Regional.

Dos acidentes mortais deste ano, dois envolveram motociclistas, ambos na sequência de despistes, um resultou de um atropelamento e o outro da queda de um camião por uma ravina.

Curiosamente, apenas o primeiro destes sinistros aconteceu na via rápida, a estrada com mais movimento de trânsito na Região, com uma média de 16 mil viaturas a circularem diariamente. Mas também, recorde-se, uma via onde se registou uma redução dos limites de velocidade no ano passado.

Tendo ainda como ponto de comparação o ano passado, curiosamente em 2017 ocorreram mais acidentes de viação, num total de 1.303, um número substancialmente superior aos 1.276 que constam da estatística do ano anterior.

Feridos graves aumentaram

Também em relação aos feridos graves houve lugar a um aumento, passando de 33 no ano passado para os 41 deste ano. Em contrapartida, o número de feridos ligeiros diminuiu: nos primeiros seis meses deste ano foram contabilizados 383, quando no ano passado esse número ultrapassou as quatro centenas (421).

Refira-se, por outro lado, que no total do ano passado se registaram 2.810 acidentes de viação nas estradas da Região, que provocaram 17 vítimas mortais, 85 feridos graves e 931 feridos ligeiros.

Importa ainda ter em conta que no segundo semestre de 2016 houve um agravamento das estatísticas: mais mortes (11), mais acidentes (1534), mais feridos graves (52) e mais feridos ligeiros (510). O que não é propriamente uma novidade, confirmando a tendência de que os meses de Verão, onde acontecem muito arraiais, festas e os consequentes excessos em termos de consumo de bebidas alcoólicas, e também o Natal, igualmente com alguns abusos no álcool, fazem aumentar a sinistralidade.

Menos vítimas encarceradas

Outro dado importante tem a ver com o número de vítimas que ficaram encarceradas no interior das viaturas na sequência de acidentes e que, por isso mesmo, tiveram que ser retiradas pelas equipas de socorro com recurso a material de desencarceramento.

Neste particular, há uma redução significativa em comparação com o ano passado, tendo por base os dados estatísticos do Serviço Regional de Protecção Civil.

Assim, nos primeiros seis meses de 2017 contabilizam-se seis ocupantes encarcerados, sendo quatro deles em acidentes registados no mês de Abril. Os outros dois resultaram de sinistros ocorridos em Março e Maio.

Em 2016 esse número atingira o triplo (18 ao todo), com a particularidade de os meses de Abril e Junho, com sete encarceramentos cada, terem superado isoladamente a totalidade do primeiro semestre deste ano.

Operação ‘Verão Seguro 2017’

Na sequência daquilo que já vem acontecendo em anos anteriores, a PSP tem em marcha desde o passado dia 15 de Junho a operação ‘Verão Seguro 2017’, que tal como o nome indica abarca toda a época estival, prolongando-se até ao dia 15 de Setembro.

De acordo com aquela força policial, esta operação de âmbito nacional tem por objectivo “o combate à sinistralidade rodoviária, através de um aumento da visibilidade policial e da fiscalização permanente e intensiva dos comportamentos de risco dos condutores”, bem como contribuir para “uma diminuição dos índices da criminalidade, através do incremento de acções de fiscalização nas zonas de concentração de pessoas e nos espaços de diversão nocturna”, para além de assegurar “uma maior proximidade e informação junto dos cidadãos estrangeiros que se encontram a passar férias” no país.

Mas a prevenção por parte do Comando Regional da PSP não se fica por aqui. Segundo a PSP, semanalmente são desenvolvidas uma série de iniciativas comunicacionais junto dos vários órgãos de comunicação social (televisão, rádio e escrita) “que visam dar a conhecer a legislação rodoviária, cuidados a adoptar na circulação pedestre e motorizada, estatística rodoviária”, entre outros aspectos, isto para além das “várias iniciativas locais, de cariz iminentemente educativo e preventivo, que são implementadas em todos os concelhos da Região, através das esquadras concelhias e destinados a um público muito abrangente, com especial enfoque nos estabelecimento de ensino, instituições oficiais, associações de cidadãos”, entre outras.