Marcela Costa apresenta ‘Três Actos para um Blue’

Livro reúne três peças: ‘Stormy Weather’, ‘Summertime’ e ‘September Song’

12 Out 2017 / 02:00 H.

A madeirense Marcela Costa acaba de editar em livro, três peças da sua autoria, numa obra que intitulou ‘Três Actos para um Blue’. Esta obra surgiu na sequência de uma conversa com Carlos Alberto Machado, da editora Companhia das Ilhas, que propôs a Marcela Costa a edição em livro das peças ‘Stormy Weather’, ‘Summertime’ e ‘September Song’, uma trilogia de jazz da autora. “São três peças baseadas em músicas de jazz, cada uma é independente das outras, mas todas são inspiradas na música”, diz ao DIÁRIO.

As peças agora editadas em livro, numa edição apoiada pela Direcção Regional da Cultura, já foram levadas à cena na Região (’Stormy Weather’) e em vários locais no país. A mais recente encenação foi a de ‘September Song’, peça que foi levada à cena pelo Teatro dos Aloés em 2014 (numa encenação de Jorge Silva). Aliás, como explica a autora, a fotografia escolhida para capa é de uma cena dessa peça, interpretada pelos actores Anna Eremin e René Barbosa.

Agora com a edição em livro destes três trabalhos, Marcela Costa diz que o seu sonho é que as peças “cheguem o mais longe possível”.

A autora adianta ainda que tem já outras peças no prelo. “ As ideias existem, e uma das peças está encaminhada. Mas é preciso tempo”, afirma. Afinal, como refere, o processo criativo na escrita para teatro é diferente da escrita literária. “Pensamos sempre em termos cenográficos e cénicos. A peça tem de ter um ritmo, uma respiração, que envolva o público....”, explica Marcela Costa, acrescentando que as peças foram agora publicadas porque já foram levadas à cena. “Cada peça que está aqui, demorou cerca 9 meses a 1 ano a ser escrita, e cada uma teve várias versões”, salienta.

Com a apresentação oficial marcada para a 1ª quinzena de Novembro, o livro está já disponível para venda na Fnac Madeira.

Dados biográficos

Marcela Costa estudou Belas-Artes na antiga Escola de Belas-Artes de Lisboa. Iniciou-se na escrita teatral em 1996 com a peça para crianças O Natal do Gato Amarelo, encenada por Eduardo Luís (Teatro Experimental do Funchal). Integrou a fundação da Associação Juvenil Companhia Contigo-Teatro , onde se estrearam três peças suas: Duas Horas Antes (escrita em co-autoria com Carlos Varela), Grande Circo Real (escrita em co-autoria com José Gil) e Stormy Weather, as duas primeiras encenadas por Carlos Varela. No contexto de um mestrado em Museologia escreveu A Angústia do Museólogo (Antes da abertura da exposição), em 2001. Enquanto membro da Equipa do Serviço Educativo do Arquivo Regional da Madeira, criou o Auto de Santa Maria do Calhau, peça alusiva aos 500 Anos da Cidade do Funchal, encenada por António Pires e em colaboração com o Conservatório/Escola das Artes . É docente de Artes Visuais, a exercer funções no Serviço Educativo e Extensão Cultural do Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira.