Mais de 3 mil situações pouco ou nada urgentes

Serviço de Urgência Hospitalar tem tido muita afluência, mesmo sem justificação

31 Dez 2017 / 02:00 H.

Nas últimas semanas, o Serviço de Saúde da Região (SESARAM) tem registado uma elevada afluência ao Serviço de Urgência Hospitalar, o que motivou, no passado dia 27 de Dezembro, um apelo à população para recorrer aquele serviço apenas em situações graves ou urgentes.

A verdade é que, segundo dados fornecidos ao DIÁRIO pelo Gabinete de Comunicação do SESARAM, durante o mês de Dezembro e até à tarde da passada sexta-feira, o Serviço de Urgência do Hospital Dr. Nélio Mendonça tinha contabilizado, 3.045 atendimentos que “correspondem a episódios não urgentes ou pouco urgentes, cujas situações não justificavam o recurso ao Serviço de Urgência Hospitalar”.

“A título de exemplo, na quarta-feira, dia 27 de Dezembro, registaram-se 406 atendimentos (o dia do mês de Dezembro com um maior número de atendimentos) dos quais, 171 atendimentos correspondem a situações pouco ou nada urgentes, 12 correspondem a encaminhamentos de doentes e 8 correspondem a desistências”, acrescenta ainda o SESARAM. A maioria dos casos não urgentes referem-se a indisposições ou grastroenterites.

Mesmo tendo em conta que o aumento da procura ao Serviço de Urgência não possa ser considerado anormal nesta altura do ano (períodos festivos tendem a aumentar a afluência a este serviço) o SESARAM optou por fazer o referido apelo à população e realizar alguns reajustamentos internos para fazer face às situações prioritárias, desviando as situações não urgentes do Hospital para os Centros de Saúde, por forma a possibilitará uma melhor resposta na prestação de cuidados.

O SESARAM sublinha que “a prestação de cuidados num Serviço de Urgência Hospitalar visa, sobretudo, responder aos casos urgentes e emergentes e, por seu turno, a prestação de cuidados nos Centros de Saúde visa responder às restantes situações. Cientes de que o recurso adequado aos serviços disponíveis possibilitará uma melhor resposta na prestação de cuidados, em conformidade com as necessidades da população, diminuindo os tempos de espera, solicitamos à população que recorra, num primeiro momento, aos Centros de Saúde da área de residência para atendimento nas vagas do dia e, esgotada esta possibilidade, aos Centros de Saúde com Serviço de Atendimento Urgente”, acrescenta.

Outras Notícias