Mais 16 recorrem a centro de abrigo devido ao frio

09 Fev 2018 / 02:00 H.

Desde de terça-feira e até amanhã (sábado), a Associação Protectora dos Pobres está a acolher para pernoita pessoas em situação de sem-abrigo no Funchal. Na noite de quarta-feira, mais 16 pessoas recorreram ao Centro de Acolhimento Nocturno (CAN), em virtude das baixas temperaturas que se têm feito sentir no Arquipélago da Madeira na última semana.

De acordo com a Directora da Associação Protectora dos Pobres, o resultado desta iniciativa tem sido “muito positivo”. “As pessoas têm demonstrado uma gratidão e satisfação muito grandes”, conta Luísa Pessanha, mas admite que também “há pessoas que não aceitam a ajuda”, apesar de reconhecerem o esforço e boa vontade da instituição.

Ao longo desta semana, o CAN disponibiliza um contingente extra de 20 camas a somar à capacidade ‘normal’ de acolhimento da Associação (20 camas, divididas pelas alas masculina e feminina).

CAN acolheu total de 36 pessoas

No total, foram 36 as pessoas que recorreram a este abrigo, na passada quarta-feira: 12 homens e 4 mulheres em situação de exposição ao frio e à chuva, a juntar aos restantes 15 ocupantes da ala masculina e 4 da ala feminina, mais uma outra situação de acolhimento ao abrigo da Linha de Emergência Social.

O frio tem levado a um aumento da procura deste apoio, de noite para noite. Na primeira noite (terça-feira) tinham sido 11 pessoas a procurar abrigo, na segunda contaram-se outras tantas cinco. Luísa Pessanha espera que “hoje, mais uma vez recorram a nossa ajuda” e frisa que “as portas do CAN estão abertas, a partir das 20h30 [e até qualquer hora da madrugada], para qualquer pessoa que esteja desprotegida”.

Paralelamente, a Equipa de Rua para Pessoas em Situação de Sem-abrigo (ERSA) tem intervido nas ruas da cidade do Funchal, junto a esta população de forma a encaminhar para o CAN ou entregar uma bebida quente e cobertor para quem não aceitar o acolhimento.

Na primeira noite saíram para a rua duas equipas, uma a pé e outra de carro, mas devido ao agravamento da situação meteorológica na quarta-feira este apoio foi prestado exclusivamente pela carrinha da instituição na segunda-noite.

Todos os restantes serviços estão a funcionar normalmente, garante Luísa Pessanha.

Outras Notícias