“Maiorias absolutas sempre foram perigosas”

CANDIDATO DO CDS APONTA ARGUMENTOS DA LÍDER DO BLOCO DE ESQUERDA

28 Set 2017 / 02:00 H.

“As maiorias absolutas sempre foram perigosas”. O aviso foi deixado pelo cabeça-de-lista do CDS à Câmara do Funchal, Rui Barreto, ontem à noite, num encontro com apoiantes, na freguesia de S. Roque.

Na iniciativa que, segundo a organização, juntou mais de uma centena de apoiantes, o candidato centrista inspirou-se numa referência política improvável: “Até a líder do Bloco de Esquerda, partido que suporta a coligação no Funchal, reconhece que as maiorias são perigosas. Pelo menos uma vez sigamo-la e não vamos dar maiorias”. No entender de Rui Barreto “dar maiorias é arrogância, dar maiorias absolutas é prepotência e nos próximos quatro anos a oposição vale pouco porque com maioria é o ‘quero, posso e mando’”. A rematar o seu raciocínio, concluiu que “no próximo domingo o voto útil é no CDS”.

Tendo ao seu lado Fernando Luís, o candidato do CDS à Junta de Freguesia de S. Roque, Rui Barreto confessou-se “muito satisfeito com a qualidade do trabalho realizado” pela sua equipa nesta campanha. “São hoje até os nossos adversários a reconhecê-lo, embora à boca pequena. Temos feito uma campanha sem filtros, autêntica, competente, ao contrário de outras duas que nos fazem lembrar histórias dos alquimistas, sem realismo”, concluiu o mesmo político. M.f.l.