Madeirenses assassinados na África do Sul

5 homens armados assaltaram talho e feriram mortalmente

21 Mar 2017 / 02:00 H.

Logo pela manhã de ontem o sobressalto aumentou na comunidade portuguesa na África do Sul ao tomar conhecimento que dois dos seus elementos, filhos de madeirenses, foram baleados mortalmente na abertura do seu talho ‘Blou Bull’, localizado na Paul Kruger Street, em Pretória.

De acordo com um familiar das vítimas, os irmãos José de Abreu e João de Abreu, filhos de pais oriundos da freguesia do Porto da Cruz, chegaram alguns minutos antes das 6 horas locais (4 horas na Madeira) ao seu estabelecimento para iniciarem mais um dia de trabalho.

Ao abrirem as portas, de forma repentina e agressiva, cinco homens armados irromperam no estabelecimento, abriram fogo alvejando os dois irmãos e dirigiram-se sem qualquer hesitação e com precisão para o local onde um montante significativo de dinheiro se encontrava dissimulado. No cofre havia pouco dinheiro. Presume-se, que devido ao desenrolar deste processo criminoso, especialmente pela precisão dos assaltantes, que se tratou de um “trabalho interior” que interrompeu a vida a dois homens. Também uma funcionária desse talho ficou ferida com gravidade e está internada no hospital local.

José Abreu , casado, deixa 3 filhos na orfandade com 3, 6 e 8 anos de idade e o seu irmão João de Abreu deixa dois filhos de 11 e 13 anos.

“Esta acção vil e cobarde de agentes da violência criminal, certamente vai ficar impune e o silêncio conformista das nossas autoridades é garantido, como tem sido no passado”, relatam populares.

Além deste caso, outros relatos de violência têm vindo a acumular-se, levando a população a temer que mais casos destes possam acontecer.

O Rancho Folclórico Luso-Madeirense cancelou as suas próximas actuações devido aos laços familiares existentes entre elementos do grupo e as vítimas mortais deste assalto.

Governo Regional da Madeira acompanha este caso

A Secretaria dos Assuntos Parlamentares e Europeus, que detém o pelouro da emigração, já fez saber que se encontra a acompanhar as investigações relativas a este caso. A informação foi confirmada por fonte governamental à Lusa, ao início da tarde de ontem.

Outras Notícias