Madeirense ajuda Caldas a fazer história na Taça

Tiago Gonçalves é o preparador físico e já sonha com presença no Jamor

12 Jan 2018 / 02:00 H.

A caminhada deslumbrante do Caldas na Taça de Portugal tem sotaque madeirense. Tiago Gonçalves é o preparador-físico da equipa que assegurou passagem às meias-finais da prova rainha do futebol português. O triunfo (3-2) frente ao Farense, na passada quarta-feira, foi a página mais bonita nos 101 anos de história do emblema caldense, mas o sonho continua... com o Jamor no horizonte. O jovem de Machico tem desempenhado papel importante na equipa técnica liderada por José Vala. Basta lembrar que, para aqui chegar, o Caldas passou por três prolongamentos nas eliminatórias anteriores, aguentando sempre a exigência rumo à vitória, reflexo do bom trabalho também a nível físico.

Tiago Gonçalves está a concluir a licenciatura em Treino Desportivo na Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM). No Verão de 2017 integrou a equipa técnica do Caldas, no âmbito do estágio curricular, e a experiência não poderia estar a correr melhor. Tiago Gonçalves lembra, em conversa com o DIÁRIO, todas as emoções após a qualificação para as meias-finais da Taça: “Foi fantástico, viver todo aquele ambiente junto dos adeptos. Depois fomos num autocarro descapotável pelas ruas da cidade e muita gente apareceu nas varandas a aplaudir”. O Caldas vive dias de enorme mediatismo e o grupo até tem sido acompanhado, esta semana, por uma equipa da SportTV para o conceituado programa ReporTV.

Logo na primeira época na qual está ligado a uma equipa técnica, Tiago Gonçalves, de 26 anos, está perto de alcançar a final da Taça de Portugal. “Se não é caso único deve andar lá perto”, aponta o madeirense, dando conta do reconhecimento por parte da família e amigos. “Muita gente da Madeira tem dado os parabéns e quando cheguei ao balneário tinha umas 50 mensagens. Sei que muitos familiares e amigos acompanharam o jogo através do relato e vibraram tanto como eu. Os meus pais ligaram-se a chorar e foi uma emoção bastante grande”. Tiago Gonçalves também considera que, perante este feito, o país futebolístico vai olhar para o Caldas com “carinho”, sentindo que o apoio poderá surgir um pouco de todo o lado, também da Madeira, claro.

O Caldas tem um plantel amador e Tiago Gonçalves garante que este percurso corresponde ao “lado mais puro do futebol”, lembrando, por exemplo, o jogo com o Farense: “Muitos jogadores tiveram de pedir um dia de férias, ou trocar a folga, para jogar os quartos-de-final da Taça de Portugal”. Destaca a “garra e o empenho de todo o grupo” e lembra a “evolução ao longo da época”.

No momento de escolher o local para estagiar, Tiago Gonçalves colocou no topo das preferências uma equipa sénior. A oportunidade surgiu no Caldas: “O treinador, José Vala, também fez a licenciatura em Rio Maior, mas na área de psicologia. A ESDRM tem um protocolo com o clube e eles precisavam de alguém para trabalhar na preparação e recuperação física e então surgiu a oportunidade”. O madeirense destaca todo o apoio por parte do clube: “Tentam dar sempre o máximo, oferecendo as melhores condições possíveis. Tem sido uma experiência muito boa e o treinador também confia bastante no meu trabalho”.

Tiago Gonçalves tem a seu cargo a preparação e recuperação física do plantel do Caldas. Também faz a ligação entre o departamento médico e a equipa técnica, nomeadamente ao nível da reintegração dos jogadores após lesão. O gosto por esta área sempre esteve bem presente: “Sempre gostei de aplicar a ciência no próprio jogo e este é um trabalho de equipa. A parte física é cada vez mais importante no futebol”. Tiago Gonçalves pretende continuar ligado ao trabalho na preparação física, mas também reconhece a “ambição de um dia chegar a treinador principal”. Quer continuar a construir o seu percurso e fazer história, tal como o Caldas: “Sempre sonhei com isto. Tenho os pés bem assentes na terra, mas quero continuar a crescer a nível profissional e possivelmente ir para o estrangeiro”.

Tiago Gonçalves lembra aqueles que tiveram papel fundamental no seu percurso: “Dedico este momento aos meus pais, que fizeram tudo por mim, e também à minha namorada, que tem sido um suporte importante”.

Jogar no Campo da Mata é o objectivo

Desde 2002 que não havia um representante do terceiro escalão nas meias-finais da Taça. Na altura o Leixões, comandado por Carlos Carvalhal, chegaria à final (derrota 1-0 frente ao Sporting). O Caldas também já sonha com a presença no Jamor. Actualmente ocupa o 8.º lugar da série D do Campeonato de Portugal e já deixou pelo caminho equipas profissionais, como Arouca, Académica e até mesmo o Farense. Nas meias-finais tem encontro marcado com o Desportivo das Aves, da I Liga. A primeira mão, fora, é a 28 de Fevereiro e a segunda a 18 de Abril. Os responsáveis do clube caldense só desejam que esse jogo seja realizado no Campo da Mata, nas Caldas da Rainha. “Esse é o primeiro grande objectivo”, confessa Tiago Gonçalves. Depois... a viagem de sonho poderá ter o Jamor como destino.

Melhor marcador no... andebol

O andebol também ocupa lugar de destaque nas preferências de Tiago Gonçalves. Representou o Desportivo de Machico e depois o Marítimo, clube pelo qual chegou aos seniores. Na licenciatura em Treino Desportivo optou pela especialização em futebol, mas mantém a ligação ao andebol, agora novamente a nível federado. Integra o Núcleo de Andebol da Escola Superior de Desporto de Rio Maior, projecto lançado esta época, com uma equipa que compete no Campeonato Nacional da III Divisão. É o melhor marcador da competição com 73 golos: “Jogar andebol na equipa da ESDRM também é uma forma de retribuir o que fizeram por mim no meu percurso formativo”. Em 2018 Tiago Gonçalves espera festejar duas vezes: “Seria lindo. Subir de divisão no andebol e chegar à final da Taça com o Caldas”.