Madeira tem 62% águas balneares como excelentes

Susana Prada coordenou reunião de preparação da época balnear

19 Mai 2017 / 02:00 H.

A Região Autónoma da Madeira tem 33 águas balneares consideradas como de excelente qualidade, o que perfaz 62% de todas as que foram classificadas e uma melhoria face aos valores anteriores. Os números foram divulgados ontem pela secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais, Susana Prada, que reuniu ontem, no auditório do edifício do Campo da Barca, entidades gestoras das 53 zonas balneares da Região “para assegurar o caminho rumo à excelência”.

O evento serviu de contexto para a preparação da época balnear que se aproxima, especialmente no que se refere aos cuidados a ter na protecção da qualidade das águas balneares regionais, mas também na segurança e vigilância asseguradas pela Capitania do Porto e na monitorização da qualidade e sensibilização dos banhistas realizadas pelo Instituto de Administração da Saúde (IASaúde).

No evento, no qual também marcaram presença o comandante Sousa Pereira, da Capitania do Porto do Funchal, o IASaúde e representantes das 53 entidades com responsabilidades na gestão das águas balneares, a secretária do Ambiente, citada em nota de imprensa, disse que o facto de que a protecção das águas balneares é uma tarefa conjunta e que requer o esforço concertado de vários agentes, cuja acção está directa e indirectamente relacionada com as águas balneares.

Susana Prada destacou, por isso, a evolução positiva no número de águas balneares, que tem sido verificada nos últimos dois anos, de 45 em 2015 para 53 em 2017, a melhoria da qualidade das mesmas com o aumento do número de águas de qualidade ‘excelente’ (24 para 33) e, ainda, a diminuição do número de águas balneares de qualidade má (4 para 2).

Números apontados pela governante para exemplificar que, graças à coordenação e empenho de várias entidades, a Madeira tem vindo a trilhar um percurso ascendente no que se refere à qualidade das águas balneares. “No espaço de apenas dois anos, conseguimos melhorar, substancialmente, a qualidade das nossas águas balneares. Hoje temos mais e melhores águas”, constatou.

Estes resultados são assumidos pela secretária regional como uma “consequência do empenho que o Governo Regional tem tido no sentido de melhorar a qualidade das zonas balneares e da receptividade e o esforço que tem sido realizado pelas câmaras e entidades que têm uma acção directa sobre estas, sendo o caso mais relevante o de Machico, município aderente à ARM, onde o Governo Regional, através de intervenções na rede de esgotos, conseguiu elevar a qualidade da água balnear de má para boa”, acrescentou.

No futuro, a tutela do Ambiente prevê melhorias, confiando “na continuidade do bom trabalho que tem vindo a ser desenvolvido, sendo que a excelência nesta área só é possível com o envolvimento de todos”, instou.

Refira-se que a Madeira tem implementado a Estratégia MaRaM – Poluição Zero no Mar da RAM, com acções de sensibilização no terreno junto dos municípios e população em geral, o que tem contribuído para a adopção de práticas que evitam a poluição das águas costeiras, porque a qualidade da água do mar é um reflexo do que se faz em terra.

Outras Notícias