Le Fleur vem às Vespas espalhar perfume musical

Clube madeirense traz DJ e produtora internacional para festa no próximo sábado, 28 de Outubro

25 Out 2017 / 02:00 H.

Uma performer de dança que se tornou DJ, uma farmacêutica que abraçou o mundo da música, uma empresária que produz música e que simultaneamente é designer, radialista e protagonista das redes sociais. La Fleur é tudo isto e muito mais. Trata-se da próxima artista internacional que virá dar espectáculo ao clube Vespas, no sábado, dia 28, cujo grupo continua aposta em dinamizar a noite madeirense com o melhor da música electrónica.

Nascida em Estocolmo, na Suécia, e a viver actualmente em Berlim, La Fleur faz parte da residência de um dos clubes mais importantes do Mundo e verdadeiro símbolo da cena berlinense: o Watergate.

Sanna La Fleur Engdahl, nome real da artista, começou a dar nas vistas há cerca de uma década, altura em que rapidamente ascendeu ao número 6 do top 100 dos melhores DJs na Suécia. Aos poucos sucederam-se as nomeações para prémios e progressivamente teve algumas conquistas relevantes, como ser nomeada a artista com o melhor álbum revelação pelo disco ‘Flowerhead Revisited’, lançado pela editora Whatpeopleplay.

Além da residência no Watergate, tornou-se num dos artistas de referência do Resident Advisor, alcançou posições invejáveis nas plataformas digitais de música, já fez digressões pelos Estados Unidos da América e outros países e até lançou a marca de moda Power Plant Elements.

Por tudo isto, uma coisa é certa: “La Fleur é neste momento um dos nomes em ter em conta na cena electrónica mundial. Para começar, ela teve muitas voltas na sua carreira para até ficar num lugar em particular”, diz o grupo Vespas.

La Fleur diz que não gosta que a cataloguem de “perfeccionista”, porque às vezes dificilmente pensa fora da caixa. “Mas na verdade, eu sou muito assim! Tenho uma atenção real aos detalhes. Nunca estou realmente satisfeita com as coisas - então eu trabalho e trabalho até que pareça bem. Eu nunca deixo qualquer coisa ao acaso”, diz a artista.

“Minha escolha de carreira... Bem, chegou a um ponto em que eu tive que escolher... e eu gosto da maneira como acabou”, adianta.

Com uma série de produções de clubes de ponta ao seu alcance, conquistando elogios e atenção de produtores como Ian Pooley e Carl Craig e clubes como Watergate e Panorama Bar, “o som de La Fleur é simultaneamente house e techno, clássico e futurista”.

Em suma: uma artista que sabe comunicar com os aficionados da música electrónica, pondo-os a dançar.

De resto, as entradas nesta festa das Vespas processar-se-ão da seguinte forma: as mulheres pagam 5 euros para entrar (com direito a uma bebida) e os homens 10 euros (com direito a duas bebidas).

Outras Notícias