Joel Tadjo é reforço de Inverno

O avançado de 24 anos chega do Cruzeiro, mas jogou no Botafogo e Avaí em 2017

29 Dez 2017 / 02:00 H.

Diederrick Joel Taguiu Tadjo será reforço de Inverno no Marítimo. Trata-se de um ponta-de-lança nascido nos Camarões mas que tem feito a sua carreira no Brasil, tendo a dupla nacionalidade.

De acordo com o que apurámos, está tudo acertado com o Cruzeiro, a quem ainda pertence o jogador, faltando apenas o visto que o permita viajar para Portugal num destes próximos dias.

Joel tem 24 anos, que comemorou a 6 deste mês, e emigrou para o Brasil e para o Paraná em 2009, tendo encontrado no Iraty o seu primeiro clube, ainda nas escalões de formação. Em 2012 assinou contrato profissional com o Londrina, pelo qual anotou nove golos em 21 jogos, conquistando o Campeonato do Interior Paranaense. Foi emprestado ao Coritiba em Setembro de 2014, mas o Cruzeiro comprou o seu passe em Dezembro deste mesmo ano.

O avançado camaronês foi depois emprestado ao Santos em 2016, clube ao serviço do qual se notabilizou, obtendo sete golos em 35 jogos pela colectividade santista. Em 2017, sempre emprestado pelo Cruzeiro, jogou a primeira metade do ano no Botafogo (10 jogos e um golo) e a segunda metade, já no Brasileirão, no Avaí, pelo qual marcou três golos em 21 partidas, mas não conseguindo evitar a descida da equipa de Santa Catarina à Série B do campeonato do Brasil.

Joel chega ao Marítimo emprestado pelo Cruzeiro mas com um contrato de ano e meio, podendo satisfazer uma das lacunas reclamadas por Daniel Ramos. Jogou pela última vez a 4 de Novembro, na derrota do Avaí frente ao Coritiba.

Daniel Ramos e as necessidades

Curiosamente, ontem, na abordagem ao jogo com o União, Daniel Ramos não confirmava o nome de Joel nem o Hallef Pitbull, anunciado por um jornal desportivo nacional, mas desmentido por Carlos Pereira.

Daniel Ramos, contudo, revelava já ter referenciado os jogadores que interessam ao Marítimo. “Temos uma base de dados onde muitos jogadores foram avaliados e continuarão a ser, mas a prioridade é contratar jogadores que já tenham um ritmo competitivo próximo do desejável, em detrimento de outros que estão parados. Mas se for possível apenas outro tipo de jogadores, assim será, porque o clube não vive apenas do presente, mas também do futuro. Desde que sejam bons jogadores serão bem vindos”, sustenta o técnico.

Confrontado com as necessidades imediatas da equipa, Daniel Ramos apontou “jogadores para a frente de ataque”, mas logo referiu não querer avançar mais. “Vamos conversar com o presidente”, diz.

De qualquer modo, o treinador do Marítimo considera “o mercado de Inverno ingrato”.

“É preciso ser criterioso, sendo que os melhores são difíceis de contratar, a não ser que haja dinheiro e investimento. Os jogadores que estão livres, neste momento, é porque não estão a jogar, de campeonatos que estão parados, e este contexto, por vezes, fica difícil para o imediato. E preocupa-nos o imediato, ou seja, um jogador que rapidamente venha a render e queremos esses jogadores, que tragam essa competitividade à equipa”, escalpeliza.

Daniel Ramos diz-se ciente das “dificuldades e do rigor orçamental que o clube tem, mas se pudermos melhorar o plantel e a equipa, tanto melhor”, sustenta o técnico, que refere ir com o presidente procurar o melhor para o Marítimo.