Helicóptero na Madeira “requer cuidados especiais”

14 Jun 2018 / 02:00 H.

    O alerta pertenceu a Paulo Melo, comandante responsável por pilotar o helicóptero de combate a incêndios, na Madeira, aeronave que foi ontem oficialmente apresentada na sede do Serviço Regional de Protecção Civil da Madeira. Este meio aéreo estará pronto a voar já amanhã e ficará operacional até ao dia 15 de Outubro.

    “A Madeira tem a sua própria orografia e requer alguns cuidados especiais no combate a incêndios, vai daí que, por exemplo, o nosso operador vai mandar para cá as pessoas mais experientes e já com experiência em operações semelhantes, quer em relevo, quer em termo de operação”, explicou Paulo Melo, considerando que na Região “a operação de combate a incêndios é muito especial e requer muitos cuidados”, por se tratar de uma ilha “com características muito próprias em termos de relevo, ventos e meteorologia”.

    No entanto, o piloto que estará ao serviço da Protecção Civil nos primeiros 15 dias da campanha, “devido às leis laborais e à carga horária destes pilotos, que vão ter de ser substituídos de tempos a tempos”, realçou que “tirando a parte do relevo, que é um pouco mais acidentada que no continente, as condições são muito semelhantes”.

    O balde deste helicóptero terá capacidade para mil litros de água, sendo que os pilotos darão primazia à água doce no momento de escolher os pontos abastecimento.

    1 milhão e 200 mil euros

    Pedro Ramos, secretário regional da Saúde, também falou nesta apresentação do helicóptero, aproveitando a oportunidade para relembrar que o processo começou em 2016, depois de estudos e testes de viabilidade realizados nos céus da Madeira.

    “É o primeiro ano que vamos ter um meio de combate aéreo e estamos satisfeitos com o procedimento de segurança se tiver de ser utilizado. A Madeira tem programas de grande utilidade, como o POCIF, que começou em 2015”, disse.

    Para esta operação de quatro meses, o Governo Regional irá despender 1 milhão e 200 mil euros, contudo, esta é uma verba que não é apenas destinada ao helicóptero, isto é, a quantia será também canalizada para a identificação dos postos de água.

    O secretário avançou ainda que o orçamento do POCIF para 2018 são de 186 mil euros, frisando a importância deste programa para a Região.

    Outras Notícias