Há oito anos que não havia tão poucos com subsídio

Com a diminuição do desemprego registado, também diminui o número de beneficiários

12 Out 2017 / 02:00 H.

Há quase nove anos que não havia tão poucos desempregados na Madeira a receber o subsídio condizente com a sua condição laboral e que, em muitos casos, é o único sustento de famílias inteiras. No final de Agosto de 2017, um total de 5.533 pessoas de 17.274 desempregados registados tinham direito ao apoio concedido pelo Estado, através da Segurança Social.

É certo que, comparando com o todo nacional, a situação nem é tão significativa. Isto porque face aos mais de 185 mil desempregados com direito ao subsídio, apenas se encontra o mesmo número de pessoas em Janeiro de 2002. Na Madeira, valor aproximado apenas remonta a Novembro de 2008, ou seja há quase nove anos, quando 5.549 trabalhadores desempregados beneficiavam do subsídio.

A diferença é que, na altura, apenas 3.260 dos 8.809 desempregados registados nesse mês no Instituto do Emprego da Madeira (IEM) não tinha direito ao subsídio. Significa que apenas 37% do total das pessoas inscritas sem trabalho estava sem qualquer apoio. Em Agosto de 2017, quase 68% estavam sem subsídio. Ou seja, 11.741 pessoas.

Ainda que o desemprego registado esteja a diminuir de forma galopante - passou de 20.770 em Agosto do ano passado para menos 3.496 indivíduos na última actualização do IEM - também é verdade que o número de desempregados com subsídio baixou significativamente (dos 6.781 há um ano para os já referidos 5.533) em menos 1.248 beneficiários.

Se num caso, o número de desempregados registados, a diminuição foi de 16,8%, no outro, do número de beneficiários, a quebra foi de 18,4%.

Numa outra análise, se tivermos em conta a evolução do número de desempregados nos últimos anos, os actuais 17.274 estão já quase ao nível dos de Fevereiro de 2011, altura em que, antes da crise e do impacto da ‘troika’, a Madeira já tinha 17.203 activos registados. Nessa altura, 8.147 desempregados beneficiavam do subsídio, ou seja mais de 47% das pessoas sem trabalho mantinham um rendimento.

Por fim, um olhar ao valor médio do subsídio, que passou a ser de 425,09 euros, menos 1,22 euros comparando com os montantes de há um ano (426,31 euros) e ainda menos do que os 486,28 euros que, em média, os desempregados beneficiários recebiam em Fevereiro de 2011.

Refira-se ainda que, em Abril deste ano, os desempregados recebiam, em média, 407,97 euros de subsídio, o que significa uma melhoria de 17,12 euros em quatro meses.

Com as melhorias no desemprego registado que se avizinham nos próximos tempos - nos últimos 18 meses, apenas uma vez ocorreu um aumento mensal, em Janeiro deste ano (20.296) face a Dezembro do ano passado (20.293) -, também é de prever que o número de beneficiários diminui, tal como ocorre há 10 meses consecutivos (desde o máximo em Novembro de 2016, com 7.280 pessoas).

Outras Notícias