Gelados artesanais que ‘sabem’ a Itália

‘Gelato Et... More’ caracteriza-se pela confecção tradicional de gelados ‘italianos’

16 Abr 2018 / 02:00 H.

No Jardim Almirante Reis, a poucos passos dos teleféricos, é possível encontrar um espaço que produz e vende gelados artesanais, com receita italiana. A gelataria ‘Gelato Et... More’ pertence a Mario Di Staso, um italiano que encontrou na Madeira uma oportunidade de negócio por mero acaso.

No Verão de 2008, o empresário queria ir de férias até Malta, junto com a família, mas acabou por vir para a Madeira. “Posso dizer que viemos de férias para a Madeira por azar. A operadora turística já não tinha mais voos para o sítio que queríamos ir e propôs que visitássemos a Madeira”. A família italiana acabou por aceitar a proposta, visto que tinha curiosidade em visitar a terra que acolhera a imperatriz Sissi. “Ficámos na Madeira durante duas semanas. Foi uma altura em que procurávamos negócios para investir em Itália e, por mera curiosidade, começámos a procurar negócios aqui na ilha, mas sem nenhuma intenção de algo concreto”, assume.

Durante um dos muitos passeios pela ilha, a descida por teleférico desde o Monte foi um dos trajectos percorridos. “Era um dia muito quente, estávamos em finais de Agosto, e queríamos algo para nos refrescarmos, como um gelado. Demos a volta ao centro do Funchal, mas não havia nada que nos agradasse. E, a brincar, pensámos que talvez esta seria uma oportunidade de abrirmos um negócio aqui”.

Na hora de regresso a casa, foi tempo de se analisar as várias situações, despesas e tudo o que envolveria esta mudança de vida. “Já tinha previsto uma mudança de vida para mim, para a minha irmã e para a minha mãe, porque a crise financeira começou a chegar a Itália e não valia a pena continuarmos por lá”.

Em 2009, a ideia materializou-se e, no mês de Julho desse ano, a primeira gelataria da família abriu portas na Estrada Monumental, sendo que meses depois foi aberto um segundo espaço junto à Igreja da Sé. Três anos depois, surgiu a oportunidade que Mario sempre esperou. “Abriu um concurso de concessão de um espaço de restauração junto aos teleféricos e candidatei-me. Como apresentei a melhor proposta, fui escolhido. Então decidimos fechar os outros dois espaços e dedicámo-nos apenas aqui”.

Gelado com receita única

O principal factor que distingue o ‘Gelato Et... More’ da concorrência tem a ver com a produção dos gelados, que naturalmente vai influenciar a qualidade do produto. “Existem dois tipos de gelados: o artesanal e o industrial, que é feito a partir de uma receita que é igual para todos. E é isso que faz a maioria das gelatarias que abriram depois de nós. Elas fazem gelados através de bases prontas e depois juntam água ou leite”, confere o empresário, que acrescenta que, no seu negócio, as matérias-primas são compradas individualmente e a empresa tem a sua própria receita de confecção artesanal. “Utilizamos apenas um tipo de leite e não usamos água, como muitos fazem”.

No que toca à variedade de sabores, existem entre a 30 a 40 durante o Verão, que é a época mais alta e que justifica a inserção de mais diversidade. Já no período fraco do ano, “temos cerca de 20 sabores, que vão variando”. Entre os clássicos que não podem faltar em nenhuma altura do ano estão os gelados de chocolate preto, pistachio, baunilha, morango, stracciatella, iogurte, avelã, maracujá, mango, limão e caramelo.

Uma das dicas deixadas por Mario para se saber se um gelado é de qualidade ou não tem a ver com a sensação de sede que podemos ficar. “Um gelado com gordura hidrogenada provoca uma sensação de sede quando o comemos. Já um gelado que não tem gordura hidrogenada não dá essa sensação de sede”, explica.

No espaço, com 220 metros quadrados, contando com a esplanada (180 metros quadrados cobertos), existe uma secção destinada ao fabrico do gelado. O ‘Gelato Et... More’ tem uma capacidade de produção de 300 quilos de gelado por dia, sendo que na época mais alta são produzidos entre 70 e 90 quilos diariamente.

Tábuas de queijos e enchidos

Apesar de o gelado ser a ‘alma’ do negócio, o ‘Gelato Et... More’ dispõe de um variado leque de pratos de cozinha italiana. “O ‘Et more’ tem a ver com o nosso conceito: para além de encontrarmos o gelado, também trouxemos a cozinha italiana para cá, temos uma oferta alargada do que é italiano”. E, como no gelado, a filosofia é a mesma. “Encontrei um fornecedor italiano para os pratos que fazemos e tenho também uma receita que foi feita por uma ‘pizzaiolo’ italiano que veio à Madeira”. Mario explica que no sector da restauração é, muitas vezes, utilizada uma massa semi-industrial para as pizzas. “Não tenho nada contra este tipo de pizza, mas não faz parte do nosso conceito. O nosso conceito é confeccionar produtos de forma artesanal, com uma receita própria e que não é de mais ninguém”.

A clientela é 95% estrangeira. “Trata-se de um tipo de cliente que está habituado a viajar e a saborear a comida italiana, são pessoas viajadas e estão habituadas a uma oferta diferente. Por isso, temos tido um bom feedback”.

Avaliação nas mãos do cliente

Para este empresário, “uma estratégia que não tenha por detrás qualidade, não serve para nada”, daí que o seu único objectivo é fazer as coisas sempre da mesma forma, agradando o cliente e dando-lhe o melhor serviço que consegue. Depois, “a avaliação é deixada nas mãos do cliente e na capacidade do cliente em divulgar o nosso serviço. A melhor publicidade de sempre foi, é e será o boca-a-boca”, defende Mario, sublinhando que a “satisfação do cliente é o melhor marketing que uma empresa pode ter”.

Para conquistar o cliente madeirense, o horário de funcionamento vai ser prolongado. A partir do próximo mês de Maio, o ‘Gelato Et... More’ vai propor um final de tarde acompanhado de tábuas de queijos e enchidos, com um “bom vinho”.

“Este é um conceito que está a começar a ser trabalhado na Madeira, mas queremos fazê-lo à maneira italiana”. Além disso, a proposta de jantares também vai passar a ser incluída neste horário mais alargado e que possui um tipo de oferta mais atractiva ao cliente local.