Gare só abre em Novembro mas Porto de Lisboa já brilha

Há dedo madeirense na gestão do melhor porto de cruzeiros da Europa. Grupo Sousa tem 30% no consórcio que ali investiu 24 milhões

Lisboa /
05 Out 2017 / 02:00 H.

Lisboa foi distinguida com o prémio de Melhor Porto de Cruzeiros da Europa, nos World Travel Awards Europe 2017, pela sua qualidade de serviços e infra-estruturas disponíveis para turistas que visitam e fazem escala na cidade.

Um feito enaltecido pelo presidente do conselho de Administração da Lisbon Cruise Port. O madeirense Luís Miguel Sousa enfatiza o facto do prémio ser ganho numa fase em que a construção da gare do terminal de passageiros ainda não está concluída. Uma infra-estrutura que só vai começar a funcionar em pleno no próximo mês de Novembro, num investimento privado de 24 milhões de euros.

O Grupo Sousa tem 30% do capital da sociedade que tem a concessão do terminal de cruzeiros lisboeta, sendo o único sócio português do consórcio internacional. Os outros sócios são a Global Ports da Turquia, a Royal Caribbean dos EUA e a Creurs de Barcelona/Espanha.

Durante o ano em curso o Porto de Cruzeiros de Lisboa receberá 337 escalas/navios e 524 mil passageiros, o que representa um acréscimo de 8% face ao ano anterior. Para 2018 já tem confirmadas 400 escalas/navios e 630 mil passageiros , um novo recorde e um aumento de 20% no número de passageiros e 18,6% no número de navios. Estão previstos também aumentos substanciais nos ‘turn around’, ou seja, no número de passageiros a terminar e a iniciar o cruzeiro em Lisboa.

O desfile de navios de cruzeiros no rio Tejo já entrou na rotina da cidade e é comprovado pela passagem de 522 mil cruzeiristas, dos quais 472 mil em trânsito, só no ano passado.

A nova infra-estrutura deverá gerar um “impacto directo e indirecto na economia superior a 100 milhões de euros até 2020” e a a distinção “contribui para um melhor posicionamento do Porto de Lisboa a nível europeu e é o reconhecimento dos resultados da aposta na promoção de Lisboa enquanto destino de cruzeiros,”, defende a directora executiva do Turismo de Lisboa, Paula Oliveira.

Outras Notícias