G15 ‘aprovam’ alterações na Liga 2018/19

Clubes só podem emprestar seis jogadores e apenas um por colectividade

Porto /
01 Jan 2018 / 02:00 H.

A época 2018/19 trará novidades importantes em termos dos regulamentos das competições e disciplinares, aprovadas na última Assembleia Geral Extraordinária da Liga de futebol, realizada na última sexta-feira no Porto.

Uma série de propostas apresentadas pelo grupo de clubes denominado de G15, do qual faz parte o Marítimo, foram aprovadas pela assembleia, motivando descontentamento por parte dos presidentes do FC Porto, Pinto da Costa, e Sporting, Bruno Carvalho, que inclusivamente decidiram abandonar a meio a reunião. O dirigente leonino ameaçou mesmo impugnar a assembleia.

Uma das decisões mais controversas tem a ver com os empréstimos de jogadores. Assim, a partir da próxima época cada clube só poderá ter um máximo de seis jogadores emprestados no campeonato onde compete, sendo ainda estabelecido um limite de um atleta cedido por cada emblema adversário.

Outra alteração tem a ver com os condicionamentos nos sorteios das competições, que passa a ser uma só: a questão geográfica e, relacionada com esta, o aspecto da segurança. Ou seja, Benfica e Sporting ou FC Porto e Boavista, por exemplo, não podem jogar em casa na mesma jornada.

Outra medida aprovada nesta Assembleia Geral tem a ver com o vídeo árbitro (VAR). Decidiram os clubes que o número de câmaras terá de ser igual em todos os jogos, independentemente dos clubes envolvidos.

Referência ainda para uma medida referente às taxas televisivas, que a partir da época 2018/19 passa a isentar o pagamento da taxa para os clubes da II Liga, enquanto os emblemas da I Liga irão pagar uma taxa tendo em conta os seus rendimentos operacionais.

No que diz respeito ao regulamento disciplinar, destaque especial para o agravamento das punições aos dirigentes. Um dirigente que acumule três suspensões na mesma época fica impedido de aceder aos estádios onde a sua equipa jogue, tanto em casa como fora. Por outro lado, são igualmente agravadas as sanções por comentários à arbitragem efectuados antes dos jogos.

Outras Notícias