Funchal está mais fresco e mais doce

Gelatarias apresentam novidades e os clientes (a)provam os sabores e inovações

14 Ago 2017 / 02:00 H.

Independentemente da cor, sabor ou formato, um gelado é sempre bem-vindo, nem que seja um motivo para dar uma voltinha pelo Funchal. Sobretudo no Verão. No espaço de poucos metros, no centro da cidade, mais precisamente entre a Rua Dr. Fernão de Ornelas, a Rua da Queimada de Cima e arredores, encontrará vários espaços que vendem gelados artesanais de tantos sabores que nem consegue imaginar.

Se está preocupado com a sua linha, esteja descansado, mas claro, não exagere. Um gelado sabe sempre bem, dá energia e até fornece vitaminas e minerais. A Faculdade de Ciências da Nutrição e da Alimentação da Universidade do Porto (FCNA-UP) elaborou um estudo em que foi analisada a composição nutricional de vários gelados. Assim, concluiu ser possível comer diariamente um gelado desde que integrado numa dieta alimentar equilibrada que integre legumes, sopa e frutas.

Por cá, a cidade ficou mais fresca e mais doce com a abertura, há poucas semanas, da gelataria artesanal Mil Sabores, na Rua Fernão de Ornelas.

A Mil Sabores abriu ao público no dia 24 e Freddy Arnold de Caires, gerente e fabricante de gelados da Mil Sabores, diz que o impacto das pessoas em geral tem sido muito bom e que “têm gostado muito”. Apesar de ter aberto as portas há poucos dias, Freddy nota que tem havido muita adesão.

Freddy Arnold de Caires explica que fez cursos no Panamá, Venezuela, Itália e Espanha e, com “o pouco de cada parte”, criou o seu próprio “conceito em gelados de pauzinho”.

A principal diferença da Mil Sabores em relação a outras gelatarias do Funchal está nos gelados “de pauzinhos, completamente artesanais, sem corantes”.

Esta tem “muita variedade com recheios e os gelados são artesanais e não são produtos sob elaborados”. Quem desejar pode “colocar recheio de maracujá, leite condensado, banana e Nutella, para ter algo diferente para não ser sempre do mesmo”.

Em relação aos preços, “apesar de serem produtos de mais qualidade, a diferença não é muita”. De copo, a gelataria vende “três sabores por dois euros”, porque “normalmente é de 1,5 euros mas só com um sabor”. Quanto ao “gelado de pauzinho vai de 2 euros a 2,5 euros”.

“No gelado com pauzinho”, o cliente pode escolher a “cobertura que pode ser de pistacho, chocolate branco ou preto e depois decora com bolacha, oreo, amendoim, coco”, e, assim, “personalizar o seu gelado”.

Ou seja, o processo do gelado de pauzinho é: escolher o sabor, cobrir com recheio e decorar.

Até agora, Freddy Arnold de Caires diz que “iogurte, pistacho e nutella” são os sabores mais escolhido pela população em geral.

Carlos Sousa era um dos clientes que estavam na nova gelataria na sexta-feira. “Disseram-me que tinha aberto uma nova gelataria e vim cá com a mulher”, disse. “Comprei um de chocolate e um destes novos de pauzinho”, acrescentou.

Maria Silva era outra das clientes que estava no espaço, à espera da sua vez para comprar um gelado. “Já vim cá duas vezes esta semana. Estou de férias e tenho aproveitado para dar umas voltas na cidade. Gosto muito de gelados, sobretudo no Verão”, explicou.

Sandra Faria, outra cliente, diz que costuma vir muitas vezes às gelatarias do centro do Funchal. “Costumo ir à Lorenzo, mas hoje decidi vir aqui experimentar esta nova. E gosto destes sabores. Parece-me que há muitas novidades e ainda bem, é sempre bom quando há inovação”, sustentou.

Lorenzo continua a fazer sucesso

Logo na rua acima está a Gelataria Italiana da Lorenzo, situada no Largo do Phelps. Abriu portas em 2012 e desde aí tem vindo a fazer sucesso. Nas estações quentes e também nas frias. Aliás, desde a sua abertura, o Funchal foi ‘vendo’ o aumento de gelatarias.

A vitrina da ‘Lorenzo’ oferece à visão o colorido dos dezoito sabores de gelados, feitos todos os dias pelo Lorenzo que, com outro funcionário, seguem à risca receitas italianas com mais de 30 anos.

Há de tiramisu, de menta e chocolate, até de pastilha. Mas os favoritos da clientela são os com sabor a Ferrero Rocher, nata com cereja e de manga. Os produtos regionais não foram esquecidos e Lorenzo também faz gelado de maracujá e de banana. Além de cones de vários tamanhos, há café, batidos e taças de gelado.

A Gelataria Italiana da Lorenzo está aberta todos os dias das 8 horas à meia-noite.

Ottavia Gelateria também é procurada

Perto do Bazar do Povo, na Rua da Queimada de Cima, está a Ottavia Gelateria que produz gelados diariamente de forma artesanal, garantido frescura e sabores únicos. O laboratório de produção, que se encontra na cave da gelataria, trabalha apenas com ingredientes seleccionados e de primeira qualidade.

A maior parte dos ingredientes chegam directamente de Itália, que conjugados com as frutas frescas da Madeira fazem combinações perfeitas. Os gelados de fruta têm a particularidade de ser feitos com água, sem adição de leite e seus derivados. Na maior parte deles, o açúcar é substituído pela frutose, que ‘exalta’ os sabores da fruta e é melhor tolerada pelas pessoas diabéticas.

De forma a garantir a maior frescura, higiene e sabor dos gelados, os mesmos serão apresentados em módulos fechados.

Os sabores vão desde a fruta fresca, tal como o maracujá, melão e morango, passando pelos frutos secos, entre os quais a avelã, a noz e o pistacho e os vários combinados com chocolates como stracciatella, tiramisu, entre outros, que irão surpreendê-lo numa explosão de sabores e sensações únicas.

Para além dos gelados há também vários semifrios e tortas de gelado, bem como granizados e uma grande variedade de cafés com a tradicional e inconfundível qualidade italiana. A Ottavia Gelateria está aberta todos os dias das 8 às 22 horas.

Estas são apenas três gelatarias, mas há muitas mais onde se pode refrescar e saborear os diversos sabores, ideais para este Verão.

Outras Notícias