Festa no calhau de S. Jorge junta seis e Mastiksoul

Organização estima gastar 15 mil euros em ‘We Love São Jorge’. No dia 3 de Junho

21 Abr 2017 / 02:00 H.

Depois de dois anos de interregno, as festas no Calhau de São Jorge voltam a marcar o Verão, este ano com a presença confirmada de Mastiksoul, um dos nomes maiores do djing nacional. Pelo menos 15 mil euros deverão ser investidos para realizar o evento no dia 3 de Junho no complexo balnear da costa Norte com dois palcos e sete artistas no alinhamento.

‘We Love São Jorge’ deverá levar muita gente ao recinto. Entre 1.500 a 2.000 mil pessoas são esperadas pela organização nesta sétima edição e é sobretudo pela vertente de promoção do espaço que a equipa do Calhau de São Jorge investe.

Duarte Nunes deixou de parte o cartaz nos últimos dois anos porque dava muito trabalho e estava por sua conta. Este ano encontrou um parceiro e resolveu retomar a festa maior do complexo. Conta que não é um momento para fazer dinheiro, o objectivo é não perder e promover este complexo.

Mastiksoul é um nome forte, foi esse um dos motivos para a escolha. “É bem conhecido, é um nome muito na moda”. “Ele esteve em Punta Umbría na festa dos estudantes, pessoas que lá estiveram disseram-me que correu muito bem”.

Duarte Nuno espera uma festa em grande. Os restantes convidados são DJ da Região. No palco um, na zona do complexo, será dedicado à música electrónica. O palco dois, junto à praia, será mais para quizomba e música mais comercial. No primeiro vão estar Mastiksoul, Master Groove, e PaulX & NS Project. No segundo os sons serão entregues a Marcelo Brazuca, Hélder Rosa, Andy Luxe Jay Williams. A festa vai decorrer nesse sábado entre as 22 horas e as 6 horas da manhã.

Mastiksoul viaja até à Madeira com a sua equipa, formada por mais três elementos, entre eles um VJ e um técnico de som.

O produtor musical e DJ português destaca-se pela sonoridade e pela energia e ritmo que imprime, pelas combinações arrojadas. Mas também por outras razões. Em 2016, por exemplo, encomendou o teledisco para ‘Good For You’, música partilhada com o cantor Shaggy a um grupo de crianças pobre do Uganda, o Triplets Ghetto Kids. Um vídeo para ver em https://www.youtube.com/watch?v=tn8IK7YtOYE, com mais de dois milhões de visualizações.

‘Gasosa’ também tem muitos números para contar, entre eles os do Europeu de Futebol, uma canção que transformou numa espécie de hino dos jogadores da selecção nacional. Nos campos da experimentação encontra-se ‘Livre’, que criou para Mariza, fusão entre a música electrónica e o fado presente na guitarra portuguesa em nome dos direitos das mulheres.

Fernando Figueira começou na música no início dos anos 90 e no fim da década lançava os seus primeiros temas, tendo a house como a sua fonte principal de inspiração e um estilo único que o fizeram sobressair, com as batidas e o ritmo impressos pelas raízes africanas.

Nos anos 2000 a carreira ganhou asas no mercado exterior, com o reconhecimento de outros produtores e artistas e marcas discográficas, como a 4Kenzo Recordings. A trabalhar com várias editoras internacionais, Mastiksoul apostou também nas suas I Believe e Moxi Records.

Em termos de actuações, a digressão passou a incluir nomes como Club Volar (Hong Kong), Pacha (Buenos Aires), SmartBar (Chicago), Footwork e The Guvernment (Toronto), Focus (Los Angeles), Club Q (Zurique), Manga Rosa (Brasil), Comics (Bulgária), H2O e Mood Club (Bélgica) e ventos como ‘Tomorowland’, ‘Aruba Film Festival Week’, ‘Latin Village’, ‘Dance Valley’, ‘Street Parade’, ‘Spirit Of London’, ‘Ministry Of Sound, ‘Mysteryland’ e outros.

Com as suas produções ocupa os lugares cimeiros nos tops musicais e consegue colaborações com artistas de renome que lhe reconhecem o direito a estar em pé de igualdade.

‘Bofe de Elite’, ’Rap Das Armas’, ‘Jacobino’ são sucesso maiores mais antigos. ‘Forever’, ‘Hurricane’, com David Anthony & Taylor Jones’, ‘Hands Up’, com Dmol, ‘Turn Up’, ‘Dança do Campeão’, ‘In Love’ e ‘I Will Love Again’ estão entre os mais recentes.