Feiticeiro no ensino madeirense

Faz sentido a obra entrar no plano curricular? Perregil diz que sim

01 Dez 2016 / 02:00 H.

O presidente do Centro de Estudos e Desenvolvimento de Educação, Cultura e Social (CEDECS) defende que a obra literária do poeta João Gomes de Sousa, mais conhecido por Feiticeiro da Calheta, passe a entrar no plano curricular do ensino madeirense. Eugénio Perregil diz mesmo que já existem “conversações” no sentido de ser alvo de estudo obrigatório.

O investigador calhetense lembrou que tal como o poeta António Aleixo é alvo de estudo na área do Algarve, “era importante, nem que seja no plano de leitura regional, que tenham em conta este fenómeno da literatura popular” de João Gomes de Sousa, sublinhando que neste momento existem “conversações com a secretaria regional da Educação” para que possa ser possível “implementar” na via de ensino esse objectivo.

Perregil recorda que a divulgação da obra literária e o lançamento do livro torna mais fácil enquadrar o desejo dos responsáveis do CEDECS. As declarações surgiram à margem da I edição do concurso de poesia que foi apresentado na Escola Básica e Secundária da Calheta.

Recepção até 5 de Maio

À parte destas considerações, o evento destinar-se-á a todos os cidadãos residentes na Região, uma iniciativa que o vereador do município, enalteceu salientando que o evento dará a conhecer a cultura do concelho “independentemente daquilo que é, é aquilo que nos diferencia, é a nossa identidade, por isso acarinhamos este tipo de iniciativas”, acrescentando “ver com bons olhos que os alunos sejam desafiados a produzir textos de poesia”.

Para isso, a recepção dos trabalhos fecham a 5 de Maio, sendo que os mesmos serão analisados de 15 de Maio a 30 de Junho. A 8 de Julho será divulgada a lista dos vencedores, fechando este ciclo a 16 de Julho com o encerramento de uma exposição de todas as obras literárias.

A organização adverte que os trabalhos devem ser apresentados numa folha A4, na horizontal, dobrada a meio.

Outras Notícias