Extreme Sailing mais visível

Meio milhar de notícias já publicadas, fazem da edição deste ano a superar a visibilidade do ano passado

17 Jul 2017 / 02:00 H.

Quando a contabilização do impacto mediático ainda vai a meio, eis que se confirma o que, em parte, era expectável, a 3.ª etapa da Extreme Sailing Series 2017, que se realizou na Madeira entre 29 de Junho e 2 de Julho, já superou a produção noticiosa da estreia em 2016, com cerca de 500 artigos publicados até à data, contra os 450 do ano passado. E ainda faltam monitorizar as televisões e as revistas da especialidade, entre muitos outros órgãos de informação, maioritariamente estrangeiros.

Quer nos media, quer nas diversas plataformas do evento, a Madeira ganhou uma notoriedade sem precedentes, confirmando a aposta nesta segunda edição e ultrapassando aquilo que teria sido uma “cobertura excepcional em 2016”, chegando, até agora, a países como Portugal, Espanha, Brasil, Alemanha, Itália, Estados Unidos da América, Áustria, França e Reino Unido, entre outros, numa clara promoção do destino além-fronteiras nunca antes conseguida.

Conforme a informação preliminar a que o DIÁRIO teve acesso (ver números), refira-se as televisões, cuja valorização da mediatização ainda decorre, embora se possa avançar que a RTP-Madeira e alguns canais internacionais fizeram várias emissões em directo, durante o evento, as quais deverão ser novamente replicadas em diferido.

Balanço positivo confirma aposta

O balanço apurado até agora representa “a confirmação da aposta feita no ano passado”, refere o secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, considerada como “uma viragem na história e na afirmação internacional do nosso destino e das suas potencialidades ao nível do mar e, concretamente, das actividades náuticas”.

“Estamos a falar de um retorno que é significativo, especialmente no que respeita à projecção e visibilidade internacionais da Madeira neste nicho de mercado. Aliás, não tenho dúvidas de que apostarmos nesta realização é darmos um passo decisivo no reforço da nossa notoriedade, atractividade e competitividade no mercado, precisamente com base numa comunicação renovada, activa e moderna que, ligada ao mar e ao desporto, cativa e conquista novos públicos”, inclusive a mobilização da população residente para “mais próximo do mar”.

Outras Notícias